"Se não te agradar o estylo,e o methodo, que sigo, terás paciência, porque não posso saber o teu génio, mas se lendo encontrares alguns erros, (como pode suceder, que encontres) ficar-tehey em grande obrigação se delles me advertires, para que emendando-os fique o teu gosto mais satisfeito"
Bento Morganti - Nummismologia. Lisboa, 1737. no Prólogo «A Quem Ler»

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Luis de Sotomaior – «Cantici canticorum Salomonis interpretatio»



SOTOMAIOR, Luís de, O.P.
Cantici canticorvm salomonis interpretatio, 1599
Portada


Apresento-vos hoje uma das mais belas portadas, pelo menos na minha opinião, impressas em Portugal.

Trata-se da portada da primeira edição da obra, impressa em Lisboa por Pedro Craesbeeck (1), em 1599, quando Luís de Sotomaior já tinha sido afastado da Universidade, em 1580, por suspeita de apoiar D. António, Prior do Crato (2):

Titulo: Cantici canticorum Salomonis interpretatio / autore F. Lodouico Soto Maior ord. praedicat S. Theol., magistro et diuinarum literarum conimbricae professore
Autor(es): Sotomaior, Luís de, 1526-1610, O.P.; Craesbeeck, Pedro, fl. 1597-1632, impr.
Publicação: Vlysippone : apud Petrum Crasbeeck, 1599 (Data do colófon 1601)
Referências: Anselmo 525, Palau 320535

É uma magnífica portada alegórica gravada a talhe doce, trabalho português segundo Ernesto Soares. A cartela central é ocupada pela figura da pastora Sulamite, sobre a qual anjos deixam cair rosas e à volta pode ler-se a legenda: “Fulcite me floribus, quid amore langueo”, ou seja, "amparai-me com flores, porque me sinto desfalecer de amor".



SOTOMAIOR, Luís de, O.P.
Cantici canticorvm salomonis interpretatio, 1599
Portada - Figura da pastora Sulamite


Dos lados, duas figuras aladas: à esquerda, a Poesia (ou a Música) e à direita a Ciência (ou a Sabedoria).


SOTOMAIOR, Luís de, O.P.
Cantici canticorvm salomonis interpretatio, 1599
Portada – Poesia (ou a Música)


SOTOMAIOR, Luís de, O.P.
Cantici canticorvm salomonis interpretatio, 1599
Portada – Ciência (ou a Sabedoria)


Luís de Sotomaior, nasceu em Lisboa em 1526 e faleceu em Coimbra em 1610. Foi um exegeta dominicano português que começou a ensinar a cadeira de Sagrada Escritura em Coimbra, em 1566. Era formado pela Universidade de Lovaina e participou Concílio de Trento.

Nesta obra comenta o texto bíblico de Salomão, talvez com menor qualidade literária do que Luís de León mas com maior erudição teológica. O texto é aproveitado para explicar temas ético-morais e inculcar a prática espiritual.



SOTOMAIOR, Luís de, O.P., 1526-1610 –
Cantici canticorvm salomonis interpretatio, 1599
Vol.2. Cap. IIII


Por causa das suas opções políticas, foi irradiado da Universidade 1580, acusado de ser um adepto de D. António, o Prior do Crato.

Espero que esta variação de temática tenha sido do vosso agrado. Gosto sempre de mostrar, como em Portugal, se pode competir com qualquer outro país na excelente qualidade de impressão e gravura. Pena que alguns desses livros enriqueçam outros patrimónios que não o nosso ... mas como pertença de toda a Humanidade estarão certamente bem entregues.

Saudações bibliófilas.


(1) Pela sua importância na Imprensa em Portugal, e por ter sido o “fundador” de uma “dinastia de importantes impressores”, falar-se-á dele mais tarde.

(2) D. António I de Portugal (Lisboa, 1531 – Paris, 26 de Agosto de 1595), mais conhecido pelo cognome de o Prior do Crato, foi filho do Infante D. Luís e neto de D. Manuel I, pretendente ao trono durante a crise sucessória de 1580 e, segundo alguns historiadores, rei de Portugal (durante um breve espaço de tempo em 1580, no continente, e desde então até 1583, confinado aos Açores). Não consta geralmente na lista de reis de Portugal, contudo é historicamente correcto incluí-lo, pois não foi só aclamado rei, como reinou de facto, durante um curto período.

Bibliografia de Luís de Sotomaior:

•Sotomaior, Luis de – Cantici Canticorum Salomonis Interpretatio, Lisboa, 1599-1601
•Sotomaior, Luis de – Ad Canticum Canticorum Notae Posteriores et Breviores, Paris, 1611
•Sotomaior, Luis de – Commentarius in Priorem ac Posteriorem Pauli Apostoli Epistolam ad Timothaeum et item in Epistolam eiusdem Apostoli ad Titum, Paris, 1610

Bibliografia sobre o autor:

•Rodrigues, Manuel Augusto – A Cátedra de Sagrada Escritura na Universidade de Coimbra. Primeiro Século (1537-1640), Coimbra, 1974
•Rodrigues, Manuel Augusto – "Influência da exegese judaica medieval nos comentários bíblicos portugueses do séc. XVI. O Comentário ao Cântico dos Cânticos de Fr. Luís de Sotomaior (Lisboa, 1599-1601)", in Jews and Conversos. Studies in Society and the Inquisition, Jerusalem, 1985
•Rodrigues, Manuel Augusto – "Ecos da exegese judaica medieval nas obras bíblicas de fr. Luis de León, fr. Luís de Sotomaior e fr. Heitor Pinto", in Pensamiento Medieval Hispano. Homenaje a Horacio Santiago-Otero, ed. José María Soto Rábanos, Madrid - Zamora, 1998, vol. II, 1383-1445 (1417-1423).
•Rodrigues, Manuel Augusto – Sagrada Escritura e espiritualidade nas Universidades de Coimbra e Salamanca no século XVI. Península. Revista de Estudos Ibéricos n.º 0 2003: 107-117

4 comentários:

Galderich disse...

Realmente una brillante portada muy bien grabada a diferencia de otras portadas de la misma época. Alguien me comentó que algún día se debería estudiar la influencia de estas portadas con decoraciones arquitectónicas y su influencia en los modelos arquitectónicos europeos de su tiempo.
Buena entrada.

Marco Fabrizio Ramírez Padilla disse...

Rui.
Preciosa portada, el detalle con el que se elaboró la convierte en un trabajo excepcional.
Ahora que la observo , debo confesar, que el nombre latino de Lisboa siempre se me ha parecido hermoso por todo lo que encierra. Saludos.

rui disse...

Para além da sua bela composição, bem ao gosto da época, dá para se apreciar a excepcional qualidade tipográfica da impressão. Pedro Craesbeeck, embora de origem flamenga, nasceu em Antuérpia, tornou-se num dos grandes impressores da Península Ibérica. Na altura, Portugal e Espanha formavam um único Reino.
Saudações

JDACT disse...

Excelente trabalho.
Obrigado.
Com amizade.
JDACT