"Se não te agradar o estylo,e o methodo, que sigo, terás paciência, porque não posso saber o teu génio, mas se lendo encontrares alguns erros, (como pode suceder, que encontres) ficar-tehey em grande obrigação se delles me advertires, para que emendando-os fique o teu gosto mais satisfeito"
Bento Morganti - Nummismologia. Lisboa, 1737. no Prólogo «A Quem Ler»

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Museu da Língua Portuguesa da Estação da Luz – São Paulo … e outras notícias




Edifício da Estação da Luz

O Museu da Língua Portuguesa foi Inaugurado oficialmente no dia 20 de Março, mas só abriu as suas portas ao público no dia 21 de Março de 2006. Nos três primeiros anos de funcionamento mais de 1.600.000 pessoas já visitaram o espaço, consolidando-o como um dos museus mais visitados do Brasil e da América do Sul.


Logotipo do Museu

Está localizado no edifício centenário da Estação da Luz em São Paulo, cidade com o maior número de pessoas que falam português no mundo (aproximadamente 11.000.000 de habitantes).


Estação da Luz – Plataforma Grande

A linha ferroviária Santos – Jundiaí foi inaugurada em 1867, pela The São Paulo Railway Company Ldt., mas as instalações desta grande estação de passageiros no bairro da Luz só foi inaugurada em 1901.


Edifício da Estação da Luz

O edifício da Estação da Luz é um dos marcos históricos da Cidade de São Paulo, projectado com inspiração na arquitectura inglesa dos finais do século XIX e início do século XX, sofreu um apurado processo de restauro e adaptação para receber as instalações do Museu da Língua Portuguesa.


Museu da Língua Portuguesa da Estação da Luz

Dos eventos a decorrer saliento a exposição que está em cartaz na Sala de Exposições Temporárias, de 24 de Agosto de 2010 até 30 de Janeiro de 2011: Fernando Pessoa, plural como o universo.


Fernando Pessoa, plural como o universo.

Boa visita, mais que não seja um “espreitar virtual” sobre as actividades do Museu e suas publicações.


E já que estou em dia de divulgações, quero deixar aqui mais duas informações que me foram enviadas por dois leitores, curiosamente em cada um dos lados do oceano que separa estes dois povos com tantos pontos em comum na sua História.

Primeiro refiro o lançamento do livro Obra Completa de Casimiro de Abreu (1), em edição conjunta da Academia Brasileira de Letras (ABL) e da G. Ermakoff Casa Editorial, que decorreu ontem na ABL.Trata-se de um escritor, fundamentalmente poeta, que ilustra bem o intercâmbio luso-brasileiro, pois desenvolveu a sua actividade literária nos dois países e colaborou com vultos prestigiados das nossas  Letras da época.


Convite

O outro evento parece-me bastante mais importante e a merecer, caso possível, uma participação. Refiro-me ao Colóquio Internacional Arquivos de família, séculos XIII-XIX: que presente, que futuro?


Cartaz do Colóquio

Para o qual já estão abertas as inscrições para a sua assistência e que decorrerá na Torre do Tombo e na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, em Lisboa, nos dias 29 e 30 de Outubro.

Pelo seu programa ,poderão verificar que se trata de um evento, que não sendo propriamente bibliófilo, nos interessa muito, para além do bom nível das intervenções a ajuizar pelos participantes.

As conferências mais importantes, pelo que me foi informado, e sem desmerecimento das outras, são:

Sousa, D. Maria João da Câmara Andrade e – O Arquivo da Casa de Belmonte: o que o tempo (ainda) não apagou (sem dúvida um arquivo importante)

Mexia, D. Maria José e Vilas Boas, D. Maria José – O Arquivo Lima e Melo Falcão Trigoso Albuquerque Saldanha e Castro Ribafria no espaço e no tempo

Saldanha, D. António - O Arquivo da Casa dos Condes e Marqueses de Rio Maior (possivelmente dos melhores que se conservam no país)

Henriques, D. Tiago - O arquivo da Casa de Louriçal (notável pelos intervenientes no espólio)


Saudações bibliófilas


(1) Sobre Casimiro de Abreu leia-se: Biografia, que nos desvenda um pouco quem ele foi … depois é partir à sua descoberta!


4 comentários:

Galderich disse...

Fantástico edificio este de Sao Paulo para contener este homenaje a la lengua!
Es igual donde se hable una lengua y cuales sean sus fronteras, lo importante es que siempre hay más motivos de unión que de separación aunque algunos quieran imponer lo contrario. Museos como este unen.

Las dos noticias restantes, muy interesantes.

Gracias una vez más.

Marco Fabrizio Ramírez Padilla disse...

Rui,
Un hermoso edificio para un fin igual.
Me parece muy acertada la denominación "Museo de la lengua" le otorga a la lengua la categoría de bien valioso y digno de cuidarse y admirarse . Nuevamente gracias por estos apuntes.

Saludos.

rui disse...

Galderich e Marco Fabrizio,

Caros amigos obrigado pelos vossos comentários.

De facto a língua é, ou deverá ser, um motivo de união e não de confronto, embora devemos, em minha opinião, respeitar as variantes que esta foi assumindo noutros países (caso do Brasil e nas ex-colónias de África, por exemplo). A língua é algo de vivo e como tal evolui!

Este Museu até pela sua concepção e localização, envolve um simbolismo que merece a nossa admiração e respeito.

O pequeno apontamento sobre a Obra Completa de Casimiro de Abreu visa chamar a atenção para isso, um escritor que cultivou a sua arte em Portugal e no Brasil.
Relembro que, ainda recentemente, foi a leilão Flores de Coral, muito provavelmente o primeiro livro impresso em Timor.

Tudo isto mostra a diáspora da língua portuguesa e o que de belo com ela se criou, e se cria ainda, nos vários continentes.

Um abraço

sofia simões disse...

Rui,
Muito obrigada pela notícia de mais um veículo de divulgação da língua portuguesa.
Mas, sobretudo, agradeço-lhe a informação relativa ao Colóquio sobre Arquivos de família! Um momento de reflexão de grande interesse tanto para bibliófilos como para arquivistas e bibliotecários. E se me permite, entre estes últimos, destaco o nome de Armando Malheiro. Um dos nossos melhores pensadores científicos no âmbito das Ciências da Informação.
Obrigada, mais uma vez.
Um abraço.