"Se não te agradar o estylo,e o methodo, que sigo, terás paciência, porque não posso saber o teu génio, mas se lendo encontrares alguns erros, (como pode suceder, que encontres) ficar-tehey em grande obrigação se delles me advertires, para que emendando-os fique o teu gosto mais satisfeito"
Bento Morganti - Nummismologia. Lisboa, 1737. no Prólogo «A Quem Ler»

domingo, 31 de maio de 2009

Conversa bibliófila: um passeio bibliófilo.



Vista de Lisboa tomada do Jardim de S. Pedro de Alcântara

Em continuação do meu último artigo, vou narrar um dos meus dias bibliófilos.

Desloquei-me a Lisboa para visitar a Exposição na Biblioteca Nacional “Estrelas de Papel”.
Excepcionalmente bem montada, num ambiente com música de fundo convidando à visualização calma dos exemplares, projecções de diaporamas das páginas mais emblemáticas dos livros expostos e a mostra, em microfilme, do texto de dois dos livros mais importantes.

Em minha opinião uma exposição a não perder!
O Catálogo da referida exposição é um precioso depósito de referência bibliográfica sobre as obras expostas, bem como sobre o tema da exposição...vale a pena comprar!

Livraria Artes e Letras

Depois dei um salto ao Chiado, para visitar algumas livrarias. Tive o prazer de conhecer mais um Livreiro Antiquário, o Sr. Luís Gomes, proprietário da Livraria Artes e Letras, que, durante uma breve conversa, me proporcionou preciosas informações sobre alguns temas bibliófilos e, me mostrou alguns exemplares, do seu vasto acervo.
Sempre o eterno, e inesquecível, prazer de sentir nas nossa mãos o livro, avaliá-lo, compará-lo com outros exemplares, que já tenham passado pelas nossas mãos. Tudo o que não se consegue sem a presença física do mesmo.
A Internet é excelente, em minha opinião, para nos orientar em relação aos locais de “caça” mais apetecíveis, mas não dispensa a visualização directa dos exemplares em questão, nem as trocas de impressões com o livreiro e, eventualmente, com outro bibliófilo que tenhamos o prazer de aí encontrar!

Livraria Artes e Letras

Felizmente não saí cabisbaixo, nem envergonhado, pois encontrei algo que me interessou, e, dos quais vos deixo aqui a visão deste pequeno opúsculo, de uma lote vasto que a Livraria possui, e que são indispensáveis na colecção de Antero de Quental, pois grande parte da sua produção literária foi publicada por este editor.


QUENTAL, Antero [Tarquinio] de, 1842-1891
Na sentida morte do meu condiscipulo e amigo Martinho José Raposo
Barcelos : Typographia da Aurora do Cavado : Editor - R.V. (Rodrigo Velloso), 1897.
Opúsculo. (168 mm) de 13-[3] pp. Br. Tiragem declarada de 100 exemplares.
(Um dos 20 exemplares em papel de linho, com o n.º 16)


Para terminar o dia, desloquei-me à mais antiga cervejaria de Portugal - “Cervejaria Trindade”, para refrescar a boca e saborear um bom petisco, com a minha fiel companheira de algumas das minhas andanças bibliófilas – a minha esposa!

Cervejaria Trindade - Lisboa

Não percam o hábito destas visitas, são sempre gratificantes...e se, ainda não o fizeram, experimentem, verão que vale a pena!

Saudações bibliófilas

7 comentários:

lamberto palmart disse...

Caro Rui, realmente um dia perfeito. Eu acho que começar com uma declaração como "papel Estrelas", continuar com uma visita a uma livraria e um antiquário em terminar como emblemático Coda cervejaria na companhia de sua esposa, é um ideal para qualquer biblófilo noite.

Obrigado por compartilhar seus sentimentos com a gente.
Eu já pediram catálogo da exposição, além de uma referência a exposição é sempre uma lembrança do Português bibliophilism, que tenho conhecido através de você.

Saludos bibliophiles.

DIEGO MALLÉN disse...

Amigo Rui: ¡qué jornada más deliciosa, me tientas para hacer las maletas y salir para Lisboa! Además que mezcla más sabia: libros y cerveza (¡mi bebida preferida!). Cuando vengas por Valencia Lamberto y yo te prometemos también una maravillosa mezcla de libro antiguo y cerveza bien fría.

Pero ahora estoy haciendo las maletas para ir a París al Salon du Livre Ancienne en el Grand Palais. ¿Tienes pensando ir?

Saludos bibliófilos.

DIEGO MALLÉN disse...

Amigo Rui: decirte también que muy interesante el link a ciclopediae.org.

Muy ilustrativa la relación de encuadernadores franceses del XVIII y me ha sido muy útil el trabajo sobre Dubuisson.

Hay un libro fundamental de bibliofilia escrito por un librero francés, Christian Galantaris, "Manuel de Bibliophilie. Du goût de la lecture à l'amour du livre", París 1998, 2 vols. 4º, Editions des Cendres. Estoy orgulloso de mi ejemplar que tuve el honor de que el señor Galantaris me lo dedicara cariñosamente en París, en julio de 1998.

La obra de Galantaris reproduce todas las placas Dubuisson (antes las había inventariado Eduard Rahir). ¡Tengo la fortuna de haber reunido 9 de las 16 placas Dubuisson en 8º! (se le atribuyen otras dos más en 12º).

Saludos bibliófilos.

rui disse...

Caro Lamberto
Vou-te responder em português para treinares um pouco...
Obrigado pelo teu comentário.
Mais do que o desejo de compartilhar convosco o “meu passeio”, pretendi fazer reflectir os leitores como numa visita bibliófila se podem recolher outros prazeres também agradáveis.
(Repara na beleza da vista de Lisboa daquele ponto, alcançamos todos os pontos mais importantes: o Castelo, a Sé Catedral ... e o Tejo!)
É que essa história de livreiros antiquários ser só para intelectuais, não me parece verdade, um modesto bibliófilo como eu, pode sentir o prazer de ver e folhear belas obras e tentar descobrir, com alguma paciência, algo, dentro das suas posssibiidades financeiras, que lhe interesse...e se o relacionamento com o livreiro for agradável, é quase a perfeição!
(Se não entendeste diz-me que eu traduzo...)
Um abraço

Galderich disse...

Rui,
Qué paseo y qué sana envidia! Visitar una fantástica exposición, pasear por Lisboa, visitar libreros, refrescarse... y toda con buena compañía. ¿Qué más se puede pedir?
Cuando vayas a Valencia (debes ir) tómate una cerveza pero que también te dejen probar la horchata, mi vicio!
Por cierto, si nunca vas a Valencia avisa, que quizá me sume al evento!
Si pasas por Barcelona, ya sabes donde tienes una casa.

rui disse...

Amigo Diego

Te agradezco tu comentario.
Ha sido uno bello día! La caminata por la “mía Lisboa” es para mí siempre un grande placer, y en una buena compañía, a visitar sitios que nosotros gustamos es perfecto!
Pero en esto momento se pasear por el Chiado es una aventura…é todo en obras!
Cuanto a la intención del artículo tu puedes leer el mío comentario que escribí a Lamberto.
Me agrada saber que el link a ciclopediae.org. tuvo utilidad para ti, pero hay otros también interesantes en la Net, como esto por ejemplo:
http://www.aboutbookbinding.com/FamousBinders/Binders.html
No voy a Paris, pero, espero vos visitar en setiembre a Valencia y beber una cerveza bien fría con vosotros.

Saludos bibliófilos

rui disse...

Galderich

Tienes muy bueno gusto, para mí también la horchata es deliciosa!
Gracia por tu invitación. Espero te visitar uno día… no muy lejano.
Con amistad