"Se não te agradar o estylo,e o methodo, que sigo, terás paciência, porque não posso saber o teu génio, mas se lendo encontrares alguns erros, (como pode suceder, que encontres) ficar-tehey em grande obrigação se delles me advertires, para que emendando-os fique o teu gosto mais satisfeito"
Bento Morganti - Nummismologia. Lisboa, 1737. no Prólogo «A Quem Ler»

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Artes & Letras – Leilão de Livros do século XVI ao século XIX




Catálogo


Praticamente no início do ano, a artes e letras leilões vai realizar o seu primeiro leilão já no dia 24 de Janeiro.

Com organização de José F. Vicente / Luís Gomes livreiros associados este evento decorrerá, como os anteriores, no Palácio da Independência – Largo de São Domingos, 11 (ao Rossio) em Lisboa.

Os livros encontrar-se-ão em exposição nos dias 23 e 24 de Janeiro das 15h às 20h.

O leilão, como já referi, decorrerá no dia 24 de Janeiro às 21h.


Catálogo - Algumas das obras

Como se depreende pelo título, este leilão encerra um excelente conjunto de obras dentro da categoria do livro antigo, onde a literatura e as obras mais recentes são escassas.


Catálogo - Algumas das obras

Pelo que constatei da análise do catálogo, para além de uma grande melhoria no seu aspecto gráfico – pelo que felicito o trabalho do Luís Gomes; este encerra um belo conjunto de obras de grande interesse, com algumas de raridade inquestionável, e como sempre com uma descrição bem elucidativa e informativa – como já nos habituou o José F. Vicente ou não fosse esta a área do seu trabalho e de investigação.


Catálogo - Algumas das obras

Parece-me uma aposta interessante e a ser seguida com alguma expectativa, quando esta categoria de livro parece registar alguma quebra na procura em detrimento do livro mais moderno e, sobretudo, da literatura.

Voltando ao catálogo deixo apenas exemplos de alguns dos livros que me despertaram a atenção, como atractivo para a vossa consulta e leitura atenta do mesmo.

 


032 CARDANO, Girolamo. – HIERONYMI CARDANI // IN CL. PTOLEMAEI // DE ASTRORVM IVDICIIS, AVT // (VT VVLGO APPELLANT) QVADRIPARTITAE // Constructionis lib. IIII. COMMENTARIA, ab AVTO- // RE postremum castigata, et locupletata. // HIS ACCESSERVNT, // EIVSDEM CARDANI, DE SEPTEM ERRATICARVM // STELLARVM qualitatibus atque uiribus liber posthumus, ante non uisus. // GENITVRARVM item XII ad hanc scientiam recte exer- // cendam obseruatu utilium, exempla. // ITEM, CVNRADI DASYPODII, MATHEMATICI ARGENT. // SCHOLIA ET RESOLVTIONES SEV TABVLAE IN LIB. IIII. // Apotelesmaticos Cl. PTOLEMEAEI: Vna cum APHORISMIS eorun- // dem librum. Denique breuis explicatio ASTRONOMICI HO- // ROLOGII Argentoratensis, ad ueri et exacti tem- // poris inuestigationem extructi. // BASILEAE EX OFFICINA // HENRIPETRINA. [Colophon:] BASILEAE, // EX OFFICINA HENRIPETRINA. ANNO // NOSTRAE SALVTATIS RECVPERATAE, // M.D.LXXIIX. (1578) MENSE // SEPTEMBRI. In fólio Com [8] 510, [1] [1] 602-838 [=834], [1] Enc.



Magnifica encadernação da época em pele de porco com nervos na lombada, totalmente lavrada com ferros a seco nas pastas, 3 cercaduras com motivos decorativos vegetalistas, alternados com figuras antropomórficas representando anjos, reis músicos, santos, guerreiros, escritores e legendas em latim, no centro um brasão heráldico pertencente provavelmente a um importante nobre da Europa central, ainda por identificar e que na pasta posterior é diferente, as a iniciais c. r. n. e a data de 1590 gravadas na pasta anterior. Exemplar em excelente estado de conservação, completo e com grandes margens. Frontispício com escudo tipográfico decorativo ilustrado ao centro com o retrato de Cardano de meio corpo na idade 49 anos. Na impressão utilizou-se caracteres itálicos, capitulares gravadas, é adornada com 100 diagramas, tabelas astrológicas no texto, duas esferas e três figuras astrológicas, apresenta uma gravura com a marca do impressor no verso do último fólio que é o cólofon. Todos os capítulos ou partes com folha de rosto própria. Terceira edição do “In Cl. Ptolemaei de astrorum iudiciis” comentário de Cardano aos três livros de Ptolomeu, Impressão do mesmo impressor que estampou a 1.ª edição em 1545, sendo esta a primeira edição póstuma e já expurgada do horóscopo de Jesus Cristo, que em 1570 custou ao autor a sua prisão na Inquisição de Roma. Geronimo Cardano foi um famoso médico, matemático e astrólogo, natural de Pavia, (1501-1576) Esta edição apresenta pela primeira vez o capítulo De septem erraticarum stellarum qualitatibus atque viribus (pag. 1-94) da autoria de Cardano. Segue-se a primeira edição de Conrad Dasypodius, dedicada a Henricus Rantzovius, vigário em Schleswig-Holstein do rei da Dinamarca, (o horóscopo figurado de Rantzovius está traçado no verso do fólio AA3): Scholia in Claudii Ptolemaei quatuor libros apotelesmaticos (pag. 717-758), In IIII libros Cl. Ptolemaei, De astrorum iudiciis, sive Apotelesmaticos, Resolutiones (pp. 764-832) ed Aphorismi astrologici ad lectionem Apotelesmaton Ptolomaei, utiles (pp. 833-838). Do Dasypodius não consta a Explicatio Astronomici Horologii Argentoratensis, anunciada no título.

Esta obra em que o autor tenta demonstrar a influência dos astros sobre a vida humana trata de variadíssimos assuntos como: a navegação, jogos, etc. etc. Contem observações astrológicas e traça os horóscopos de várias personalidades importantes da história universal como Erasmo de Roterdão. VD16, C-897. Index Aureliensis, 132.112. E. Zinner, Geschichte und Bibliographie der astronomischen Literatur in Deutschland zur Zeit der Renaissance, Leipzig, 1941, nr. 2812. Riccardi, I, 1a, 254, nr. 73. C-682. Houzeau- Lancaster: rare. Library of D. Horblit, Honeyman Collection e Catálogo Sotheby’s Library of The Earls of Maccles eld from Shirburn Castle.



056 DANTI, Egnatio. - TRATTATO DEL’VSO DEL ET DELLA FABRICA ASTROLABIO. Di F. Egnatio Danti dell Or. Di S. Domenico. CON L’AGGIVNTA DEL PLANISFERIO DEL ROJAS. ALL’ ILLVSTRISS. ET reveren. S. don Fernando Cardinal De Medici. In Florenza Apresso i Giunti. M. D. LXVIIII. (1569) In-8º de [8], 194, 38, [10] pags. Enc. Ilustrado com um globo com as armas dos Médicis na folha de rosto que se encontra um pouco manchada de humidade, o globo repete-se na folha da dedicatória, 9 belas capitulares xilogravadas com vistas de cidades, 21 desenhos de astrolábios e diagramas no texto. Impressão nítida em caracteres rotundos ou romanos com algumas linhas em itálico estampado sobre excelente papel de linho. Primeira edição deste tratado sobre a construção e utilização do astrolábio. Foi escrita pelo famoso cosmógrafo de Cosme de Médicis. Contém a aplicação do planisfério aos astrolábios, relógios solares e também a projecção ortográfica de Juan de Rojas que pertenceu à corte de Carlos V e escreveu o livro Commentariorum in astrolabium, quod planisphaerium vocant, libri sex, Paris, 1550. A admiração de Cosme de Médicis pelo seu cosmógrafo foi a tal ponto que em 1571 escreveu para o geral da Ordem Dominicana pedindo autorização para residir no palácio. Danti construiu uma esfera armilar equinocial na fachada de Santa Maria Novella que lhe permitiu observar o equinócio estival em 11 de Março de 1574, em vez de 22 de Março, e assim, provar que o calendário Juliano não coincidia com as estações. Depois de cair em desgraça sob o sucessor de Cosme, ele trabalhou intensamente em Roma, onde elaborou um mapa topográfico dos Estados Pontifícios, tornou-se uma figura importante na reforma do calendário calculado sobre o meridiano do Vaticano. Danti (antecipando Tycho Brahe), calculou a obliquidade da eclíptica (inclinação do eixo da terra), com um notável grau de precisão. A sua Propositione XXX dá um ângulo de 23 graus 28 min, enquanto os mais modernos cálculos medem 23 graus 32 minuto. Encadernação da época em cartonagem editorial original, acondicionado numa caixa-estojo em pergaminho. Adams II D-123. Delfiol Camerini, 412. Houzeau Lancaster & I, 3288.



112 MANUSCRITO, - D. Filipe I de Portugal] Carta Régia de Con rmação do Donatário e Capitão-Mor do concelho de Felgueiras, dada em 22 de Novembro de 1584, por el-rei D. Filipe I de Portugal, a D. Francisca da Silva Coelho. Documento redigido em português sobre 4 fólios de pergaminho de 36x26,5 cm. Escrito com letra gótica cursiva da chancelaria régia, muito regular, bastante harmoniosa e pouco cerrada. Selo pendente em chumbo com as armas reais, assinado por Filipe I de Portugal, II de Espanha e vários chanceleres e tabeliães. Encadernação caixa-estojo artística recente ao gosto do século XVI com nervos na lombada, ferros decorativos lavrados a seco e a ouro nas pastas. Magnifico trabalho da autoria do famoso mestre encadernador e restaurador Império Graça. Trata-se da confirmação de um título dado originalmente por D. João I em 1385, mais tarde confirmado por D. Manuel I em 1510 e aqui por finalmente confirmado por D. Filipe I. Contêm a genealogia da família titular, refere e relaciona genealogicamente entre outros factos Egas Moniz, a batalha de Alfarrobeira, Inês de Castro, os descobrimentos dos caminhos marítimos para a Índia e Brasil, e ainda Batalha de Alcácer-Quibir. Em 8 do 7 de 1385 deu D. João I o concelho de Felgueiras por serviços na guerra a Gonçalo Pires Coelho (1385-1417 1.º donatário) e Capitão-mor por Carta Régia. Descendente de Egas Moniz e filho de Pêro Coelho, implicado na morte de D. Inês de Castro e no qual se vingou el-rei d. Pedro I. Em 2 do 5 de 1433 el-rei d. João I confirma a Fernão Coelho (1417-1449 2.º donatário) Alcaide-mor do castelo de Guimarães, era filho varão do anterior. Em 17 do 7 de 1459 el-rei D. Afonso V confirmou a Martin Coelho (1456-1483 3.º donatário) combateu na batalha de Alfarrobeira tendo de se exilar no norte de África, era filho primogénito do anterior e tio do navegador Nicolau Coelho. El-rei D. Manuel I confirma primeiro a Gonçalo Pires Coelho (1483-1510 4.º donatário) por carta régia e depois a seu filho Aires Coelho (1510-1533 5.º donatário) em 21 do 6 de 1510 essa doação, com todos os direitos, menos os da correição e alçadas, é dada por falecimento de seu irmão e varão, o navegador Nicolau Coelho, que comandou a nau Bérrio na frota com que Vasco da Gama descobriu o caminho marítimo para a Índia. Depois comandou uma nau da frota com que Pedro Alvares Cabral descobriu o Brasil. Vindo a falecer quando regressava da sua terceira viagem á índia, em Janeiro de 1504, no trágico naufrágio que vitimou todos os três navios da frota em que ao serviço D’el-rei D. Manuel I acompanhava o regresso a Portugal do vice-rei D. Francisco de Albuquerque. El-rei D. João III confirma por carta régia de 1 do 8 de 1533 a Gonçalo Coelho da Silva (1533-1584 6.º donatário) participou na batalha de Alcácer-Quibir em 1579. Em 1529 el-rei D. João III confirma a Aires Gonçalves Coelho, (1540-1579 7.º donatário) filho do anterior e que faleceu na batalha de Alcácer-Quibir em 1579, em que foi combater na companhia de seu pai em 1584, el-rei d. Filipe I confirma por via hereditária a D. Francisca da Silva Coelho, filha de Aires Gonçalves Coelho e esposa de Francisco Pinto da Cunha (1579-1615 7.º donatário) que por via do casamento é reconhecido Sétimo e último donatário do concelho Felgueiras e alcaide-mor do castelo de Celorico de Basto.

Documento de enquadramento transversal na história de Portugal e Universal, que abrange directamente os séculos XIV a XVI (1385-1584) em que constam não só os factos aqui descritos como certamente muitos outros ainda por revelar. Verdadeira fonte autenticadora de factos que contem dados históricos, genealógicos, cronológicos, jurídicos, filológicos, de diplomática, etc. etc. Este documento foi citado ao longo dos séculos através de cópias das chancelarias régias e outros arquivos por diversos autores, historiadores, genealogistas, etc. etc.

Bibliografia consultada: Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira; Felgueiras de ontem e de hoje, M. António Fernandes.


Catálogo – lote 91

Estou certo que estes exemplos vos aguçarão a curiosidade para a consulta do catálogo, mas porque não, pelo menos para aqueles que o possam fazer, darem uma espreitadela aos livros no Palácio da Independência ou participarem no leilão?

É sempre uma experiência importante e única. (Claro que alguns bibliófilos não gostam de comprar livros em leilões, mas neste momento algumas das melhores peças são canalizadas para este tipo de eventos …)

Boa consulta e leitura deste catálogo.

Saudações bibliófilas.

3 comentários:

Bach disse...

Que livros tão bonito! Realmente um evento a seguir. Obrigado pela informação. Às vezes, no leilão sem chance de conseguir um bom livro, mas nunca baratos!. Um abraço

bibliotranstornado disse...

Obrigado pela informação.

Bonito catálogo.

rui disse...

Parece-me ser um catálogo bastante interessante quer pela qualidade dos livros quer pela sua raridade, o que torna muito difícil uma escolha, e onde estão incluídas obras saídas dos prelos alguns de alguns dos mais famosos impressores portugueses.

Tudo isto deverá tornar este leilão bem apaixonante.

Um abraço.