"Se não te agradar o estylo,e o methodo, que sigo, terás paciência, porque não posso saber o teu génio, mas se lendo encontrares alguns erros, (como pode suceder, que encontres) ficar-tehey em grande obrigação se delles me advertires, para que emendando-os fique o teu gosto mais satisfeito"
Bento Morganti - Nummismologia. Lisboa, 1737. no Prólogo «A Quem Ler»

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Renascimento, SA – Leilão da Colecção Joaquim Pessoa e outras proveniências




Catalogo do Leilão

Esta prestigiada empresa leiloeira vai realizar mais um importante leilão de livros no dia 26 de Novembro, que inclui algumas das raridades da nosso bibliofilia.
Para consulta, deixo aqui o Catálogo que, como é habitual, resulta da colaboração de José F. Vicente, da «Livraria Olisipo», com esta Leiloeira, na sua elaboração, avaliação e acompanhamento dos seus leilões de livros.



Deixo aqui alguns exemplos de lotes, que chamaram a minha atenção. No entanto não posso de deixar de referenciar a presença de três lotes, que de acordo com os meus gostos pessoais e pela raridade e qualidade dos exemplares, serão um dos pontos altos do leilão. Refiro-me aos lotes 175, 214, 357 e 482. (1)
Eugénio de Andrade, António Botto, David Mourão Ferreira, Daniel Filipe, Herberto Helder, Miguel Torga e J.B. de Almeida Garrett, Guerra Junqueiro, José de Almada Negreiros, Teixeira de Pascoaes estão muito bem representados, mas talvez a peça mais preciosa seja «Mensagem» de Fernando Pessoa com uma assinatura sua (embora seja curioso referir que tenham aparecido recentemente alguns exemplares desta 1ª edição no mercado).



040 - AVELANEDA, Alonso Fernandez de. - NIEUWE // AVANTUUREN// Van den Vroomen en Wijzen // DON QUICHOT // DE LA // MANCHA, // Oorfpronkelijk in de Spaanche Taal beschreeven // DOOR // ... // TOT AMSTERDAM // Andries Van Damme // 1718. 8º peq. de XVI, 687 págs. Enc.
O autor, desconhecido, usou este pseudónimo e usurpando a ideia de Cervantes, publicou o 2º Tomo, ou Continuação e fim da novela, em Terragona, 1614. Resultado do seu sucesso, publicaram-se várias edições nos Sécs. XVI a XVIII. Esta edição, a segunda holandesa (?), contém o mesmo numero de páginase gravuras que a publicada em Utrecht, 1706. Palau, Tomo III, págs 200 e 201 refere as diversas edições publicadas, omitindo esta. Raríssima. Ilustrada com 16 estampas extra-texto e portada gravada. Encadernação em inteira de
pergaminho da época.




064 - BOTTO, António. - CVRIOSIDADES ESTHETICAS. Com palavras de Junqueiro. Um retrato do auctor e outras referências valiosas. Lisboa. Typographia Libanio da Silva. 1924. In-4º de [14], 25, [8] págs. Enc.
Edição original. Poesia. Rara. Ilustrada com o retrato do autor por Almada Negreiros. Encadernação em inteira de pele,reproduzindo na pasta da frente os dizeres da capa de brochura.
Pequena anotação a tinta no anterrosto



084 - CARTA CONSTITUCIONAL DA MONARCHIA PORTUGUEZA. Decretada, e dada pelo Rei de Portugal e Algarves D. Pedro, Imperador do Brasil aos 29 de Abril de 1826. Londres. Na Officina Typographica de C. Whittingham House, Chiswick. MDCCCXXVIII. In-4º de [4], 76.págs. Enc.
Raríssima edição da Constituição, impressa em Londres. Em muito bom estado de conservação. Este é o exemplar nº 80, destinado a Francisco Vanzeller, Presidente do Memorial apresentadoa S. Magestade a Senhora D. Maria II. Encadernaçã oem inteira de pele com ferros a ouro na lombada, pastas e seixas.




130 - ENCADERNAÇÃO. Bela encadernação do século XIX, em inteira de pele vermelha, com artísticas decorações a ouro na lombada, pastas e seixas, assinada por Giekere Leigsrter. Corte das folhas brunido a ouro. Berlin. 1883. In-16º de XXIV, 199, [1] págs. Enc.
O livro é o texto de Lieder, Mirza-Schaffy. Muito bem conservada.




153 - FERREIRA, José Gomes. - LIRIOS DO MONTE. Lisboa. Orbis. Empresa de Livros e Publicidade. 1918. In-8º de 61, [1] págs. Br.
Primeira edição e livro de estreia do autor. Capas de brochura de Stvart. Muito raro. Numa caixa-estojo em inteira de pele.




173 - GARRETT, J. B. de Almeida. - O ARCO DE SANCT’ANNA. Chronica Portuense. Manuscripto achado no convento dos Grillos do Porto por um soldado do Corpo Academico. I (e II). Lisboa. Imprensa Nacional. 1845 (e 1850). 2 Vols. In-8º peq. Encs.
Primeira edição. Integrada nas Obras Completas do autor. Muito rara. Encadernações mais recentes em inteiras de pele, com decorações a ouro na lombada, pastas e seixas. Sem capas
.



175 - GARRETT, J. B. Almeida. - O CHRONISTA, SEMANARIO DE POLITICA, LITTERATURA, SCIENCIAS, E ARTES. Volume I. [Março, Abril, e Maio.] 1827 (e Volume II. [Junho, Julho, e Agosto.] 1827. Lisboa. Imprensa do Portuguez. 1827. 2 Vols. In-8º Encs. em 1.
Raríssima. Esta interessante publicação saiu sem o nome do autor. De grande importância para a história política da época.
É das espécies mais raras do autor. Inocêncio, Vol. III, pág. 314; Pinto de Matos, pág. 293; A. Fernandes Tomás, 141.
Encadernação da época em inteira de carneira, com pequenos cortes de traça na pasta de trás. O exemplar pertenceu a Lopes de Oliveira que sublinhou a lápis algumas passagens do texto.



214 - HERCULANO, Alexandre. - A VOZ DO PROPHETA. Ferrol. 1836. [Novembro] e Lisboa. Typ. Patriotica. 1837. 2 Ops. In-8º peq. de 35 e 32 págs. Encs. em 1.
RARISSIMO quando acompanhado das duas séries como o presente. Obra de grande impacto na época. Texto de cariz religioso e político, foi publicado anónimo, em defesa do cartismo, a protesto da abolição da Carta Constitucional pelos Setembristas. Contém nos dois opúsculos anotações manuscritas. Encadernação em meia de pele. Conserva a capa de brochura da primeira série.



357 - PESSOA, Fernando. - MENSAGEM. Lisboa. Parceria António Maria Pereira. 1934. In-8º de 100, [2] págs. Enc.



Primeira edição. É, sem dúvida, um dos livros mais importantes da poesia portuguesa. Valorizado com a assinatura de Fernando Pessoa na primeira folha em branco, e datada de 31/1/1935. Encadernação em inteira de pele.



482 - TORGA, Miguel. - RAMPA. Poema de Adolpho Rocha. Coimbra. Edições Presença. 1930. In-4º de [2], 76, [2] págs. Br. Edição original. Segundo livro do autor, publicada com o seu verdadeiro nome. Encadernação em inteira de pele, reproduzindo nas pastas os dizeres das capas de brochura. Pequena assinatura na primeira folha em branco e capas de brochura com pequenos restauros. Por aparar.

Para terminar, fica aqui um conjunto de exemplos dos vários estilos de encadernação que se podem encontrar neste leilão (são muitos e alguns de alta qualidade)

Encadernações



Saudações bibliófilas.


(1) Quero pedir desculpa se algum leitor se sentir melindrado por não ter referido algum autor da sua particular preferência, mas citei aqueles com maior número de obras e, claro, dos que mais me atraem, creiam que, apesar de tudo, tentei ser o mais isento possível...

3 comentários:

Marco Pedrosa disse...

Marco Pedrosa disse...
Caro amigo, passados quatro dias retomo o asunto para agradecer teus comentários e dizer que eu já imaginava que fosses gostar
mais do L'apparition du livre. Te confesso que é meu preferido também.
No que se refere à encadernação contemporânea ainda estou nos primeiros passos desta arte. os trabalhos que hora vês são minhas primeiras incursôes por este caminho. Mas uma coisa é fato concreto; só é tolerável esse tipo
de trabalho em edições recentes, como já falastes várias vezes.
È o caso do Itinerário de Pasárgada, pois Manuel Bandeira é um ícone do modernismo brasileiro inaugurado durante a semana de arte moderna de 1922 em São Paulo.
Mas sei que isso tu ja sabes!como se percebe pelo teu coerente comentário, afinal és um estudioso do assunto.
O João Cabral De M. Neto é igualmente importante como o Bandeira e até mais contemporâneo.
Quanto a postagem no Blog da Eliviana estamos preparando material para em breve posta-los no próximos dias.

Já olhei bastante a tua postagem do catálogo de leilão no dia em que a fizeste. É excelente!!!
Se me permites uma sugestão; que tal se postasses as fotos para se ver em tamanho ampliado. seria interessante ver as encadernações em detalhes.
Maravilhosas encadernações para Adolpho Rocha e Antonio Botto, como
Destaque para o mosaico em couro azul do título Rampa e do autor.
As demais parecem me encadernações do editor, mas igualmente belas.
Pena não termos o catálogo online.

Um grande abraço, amigo.

Marco Pedrosa disse...

Não é intromissão alguma, caro Rui.
mais uma vez sou forçado a concordar contigo, pois meu atelie
tem sido meu refúgio nas horas boas
e nas horas difíceis, onde posso me entregar profundamente aos livros a essa arte que tanto amo.
Um encadernador amigo meu comprou seis ferros e um componedor pelo ebay e disse ter ficado satisfeito.
O único problema que vejo nisso é que pelo ebay só vendem ferros usados. O preço do novo na TALAS
é mais ou menos o mesmo, porém na talas é vendido por encomenda, ou seja, demoram alguns dias para confecciona-los e enviar.Mas a emoção da espera também é interessante.
Um Grande Abraço,amigo.

rui disse...

Caro amigo

Em primeiro as minhas desculpas de só ter notado o teu comentário hoje, tenho estado um pouco ocupado com o meu trabalho profissional e a tentar acompanhar esta catadupa de eventos bibliófilos e literários.

Quanto ao Catálogo podes aceder pelo link que se encontra por debaixo da fotografia do mesmo:
http://www.livraria-olisipo.com/img/091116070330.pdf
e podes estudar um pouco melhor as encadernações.

Digo-te que nenhuma é editorial, e algumas são assinadas.Trata-se de uma boa biblioteca, na sua maioria moderna, mas com alguns títulos raríssimos.
Tem livros que foram apreendidos pela polícia política aquando da sua publicação!

Com abraço amigo deste lado do oceano.