"Se não te agradar o estylo,e o methodo, que sigo, terás paciência, porque não posso saber o teu génio, mas se lendo encontrares alguns erros, (como pode suceder, que encontres) ficar-tehey em grande obrigação se delles me advertires, para que emendando-os fique o teu gosto mais satisfeito"
Bento Morganti - Nummismologia. Lisboa, 1737. no Prólogo «A Quem Ler»

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Feliz Natal – Merry Christmas – Joyeux Noel – Feliz Navidad




Presépio

Aproveito esta quadra festiva, para deixar uma mensagem de Boas Festas para todos os leitores, que ao longo destes anos, têm tido a paciência de me lerem e, sobretudo, de deixarem as suas opiniões.

Dirijo-me a todos, e não só aqueles que consideram importante manifestarem-me o seu apoio, subscrevendo-se como seguidores, pois são muitas das vezes as vozes anónimas que não deixam esmorecer o empenho neste meu modesto contributo para a divulgação do livro e do mundo que o rodeia.


Biblioteca - alguns livros

Entendo que nesta quadra devemos dar preferência às nossas famílias e aos nossos amigos, apesar dos nossos livros continuarem omnipresentes nas nossas vidas, mas que fiquem mais ou menos arrumados nas pratreleiras das nossas bibliotecas, e que só saiam de lá para desfrutarem da partilha com algum dos nossos amigos aficionados.

E porque não relembrarmos o Pai Natal da nossa meninice, quando ansiosamente aguardavamos que passasesse a meia-noite, ou que a manhã chegasse o mais depressa possível, para descobrirmos o que ele nos tinha trazido.


Pai Natal

Como já disse algumas vezes, somos velhos quando deixamos morrer a criança que vive nos nossos corações, pois que enquanto ela lá habitar os nossos cabelos brancos não nos envelhecem, porque a vida tem e terá sempre um significado para ser desfrutada e valerá sempre a pena lutar por um projecto novo.

Que melhor magia poderá encerrar um presente do que sabermos que o simples gesto da sua oferta representa a manifestação dum afecto profundo, ou duma amizade sempre presente, que escolheu este momento para deixar mais uma das suas marcas indestrutíveis.


A magia do presente

Se o presente em si poderá ser uma surpresa, o gesto esse não representará mais do que a emoção partilhada e vivida, de modo ciumplice, ao longo de muitos anos pelos intervenientes.

Mas muito mais que os valores materiais convirá, ao menos uma vez por ano, pensarmos um pouco mais atentamente em todos os desfavorecidos e desprotegidos, que cada vez são em maior número, no nosso planeta.


Os desfavorecidos também existem...

Também eles merecem o nosso apoio e carinho, mas sobretudo que tentemos fazer algo que lhes possa mitigar as suas carências.

Se “o Natal for sempre que um homem quiser”, seria bom que todos os dias o fossem!

Como grande apaixonado pela poesia serei sempre um eterno sonhador…por favor, não matem este meu sonho!

Saudações fraternas para todos vós.


8 comentários:

Urzay disse...

Feliz Natal, Rui. Estoy escudriñando los libros de esa biblioteca, pero el nuevo sistema de blogger para las fotografías no me deja :-)

Bach disse...

Boas festas, Rui!
Um abraço.

Galderich disse...

Bon Nadal!

PD. Para Urzay: Blogger intenta boicotear nuestro afan vouyerista pero si aprietas el botón derecho del ratoncito sobre la imagen te la abre como antes...

Marco Fabrizio disse...

Caro Rui,
Boas Fiestas

bibliotranstornado disse...

Boas Festas

Adriano Rodrigues Laignier disse...

Uma mensagem de natal para o titular do blog e seus seguidores, deste que subescreve do outro lado do altlântico!

O Natal é de Cristo, o momento é de celebrar Sua vida e Seus ensinamentos.

Dei me por consultar os
dicionários de minha biblioteca – o de Antônio de Moraes de 1789, o do Frei Domingos Vieira de 1871, o de Lacerda de 1879, o de Valdez de 1866, o etimológico do Antenor Nascentes de 1932, todos são inequívocos e coincidentes ao se referir a palavra natal como “DIA DO NASCIMENTO”, logo, para os países cristãos o de CRISTO.

Não satisfeito fui pesquisar a raiz da palavra no Magnum Lexicon Latino – Lusitanum de Cabralii Ramalii de 1858, que assim o considera: Nātālis, le. Cic. c. do nascimento, ou natalícia. Col. c. natural, nativa. Dies natalis: Cie. dia do nascimento.

Portanto, este natal materialista de consumismo e presentes é coisa da “modernidade”, é fruto da industrialização e sua política estratégica de circulação de bens e serviços, dentro da perspectiva econômica que se abriu após a revolução industrial.

Ao passo que Natal, conforme sua essência, é o de reverenciar a figura do grande líder Cristo, momento de refletir sobre Sua vida e Seus ensinamentos, sobretudo, na medida do possível tentarmos nos espelharmos Nele, o aniversariante, CRISTO.

FELIZ ANIVERSÁRIO A CRISTO E ÀQUELES QUE IMBUÍDOS DE SEUS VALORES E IMPREGNADOS DE SEUS ENSINAMENTOS, DIVIRTAM-SE, POIS, A VIDA SEMPRE LHES BRINDARÁ!

Adriano Rodrigues Laignier, em Petrópolis/Brasil no dia 23/Dezembro/2011.

Angelo disse...

Rui, apesar de ausente nesses últimos meses, passo aqui para lhe deixar os melhores votos de feliz natal e próspero ano novo.

Abs.

Anónimo disse...

Votos de um feliz Natal e de um Ano Novo recheado de saúde e felicidade.
Abraço,
Jorge