"Se não te agradar o estylo,e o methodo, que sigo, terás paciência, porque não posso saber o teu génio, mas se lendo encontrares alguns erros, (como pode suceder, que encontres) ficar-tehey em grande obrigação se delles me advertires, para que emendando-os fique o teu gosto mais satisfeito"
Bento Morganti - Nummismologia. Lisboa, 1737. no Prólogo «A Quem Ler»

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Bom Ano Novo … e algumas reflexões




Bom Ano 2012

Chegados que estamos ao fim de mais um ano, cumpre, como é normal nesta data, desejarmos aos nossos amigos um Bom Ano Novo.

São estes os meus votos para todos aqueles que ao longo de 2011 de alguma maneira descobriram este espaço e decidiram ler algum, ou alguns, dos meus “escritos” bem como para todos os seus já habituais visitantes.

Quando na minha mensagem de Natal salientei os leitores anónimos, não quis menosprezar os meus seguidores, pois que são uma fonte de apoio e de alento constante para continuar “nestas lides”, quis apenas frisar que quando vejo uma citação, a publicação dum artigo num outro espaço, ou muito simplesmente um leitor me coloca uma questão, que por vezes tenho de estudar para poder responder, sinto que tem valido a pena todo este meu trabalho.

Quanto à maioria dos seguidores devo confessar que terei sempre muito a aprender com eles e muito pouco, ou mesmo nada, a ensinar (visto não ter conhecimentos para isso!)

Sinceramente desejo que o próximo ano traga tudo do melhor para vós e as vossas famílias, que realizem tudo aquilo que ambicionam … mas senão o conseguirem na totalidade continuem a persistir, pois devemos acreditar sempre naquilo porque lutamos – só assim a vida tem siginificado para ser vivida.


Mesmo para os mais distraidos…

Mesmo para os mais distraidos que, terão de ir apressadamente ao relojoeiro consertar o relógio para saberem quando muda o ano (… é que eu também o sou, mas talvez não tanto assim!), esta data será para festejar entre a nossa família ou rodeados pelos nossos amigos.

Não será uma passagem de ano para grandes festejos, nem deslumbrantes fogos-de-artifício, mas será um dia para confraternizar, viver com alegria e continuar a sonhar com os nossos projectos e ambições.


…nem deslumbrantes fogos-de-artifício

Devemos começar a traçar o caminho a seguir no emaranhado da floresta em que se converteu o nosso dia-a-dia, com os problemas económicos que todos os nossos países atravessam, sejam elas maiores ou menores, para que cada momento seja vivido com grande alegria e desfrutemos o máximo que pudermos dele… e se reparem bem a estrada fica mesmo ali ao lado.


… a estrada fica mesmo ali ao lado

Antes de terminar, e numa altura em que somos constantemente “bombardeados” com imagens publicitárias – sob todos os formatos e vias, quero aqui deixar um dos meus “papéis velhos”: um anúncio espanhol do sec. XX (não estou seguro da sua data exacta) impresso sobre cartolina, em forma de leque, e que ainda hoje nos faria deliciar.

 
COMERCIO
Comestibles, Tejidos
José Ovelar
Remedios, 10 y 12
Villa del Prado

Para o ano voltaremos à bibliofilia com algumas novidades.

Saudações amistosas.


3 comentários:

Bach disse...

É sempre um prazer visitar seu blog.
Desejo-lhe um bom Ano 2012!
Um abraço

Anónimo disse...

Feliz ano de 2012....Saúde, paz e alegria....

Ode à Alegria de Friedrich Von Schiller, tradução do original, tal como se canta na Nona Sinfonia de Ludwig Van Beethoven.

(Barítono)

Oh amigos, mudemos de tom!
Entoemos algo mais prazeroso
E mais alegre!

(Barítonos, quarteto e coro)

Alegre, formosa centelha divina,
Filha do Elíseo,
Ébrios de fogo entramos
Em teu santuário celeste!
Tua magia volta a unir
O que o costume rigorosamente dividiu.
Todos os homens se irmanam
Ali onde teu doce voo se detém.
Quem já conseguiu o maior tesouro
De ser o amigo de um amigo,
Quem já conquistou uma mulher amável
Rejubile-se conosco!
Sim, mesmo se alguém conquistar apenas uma alma,
Uma única em todo o mundo.
Mas aquele que falhou nisso
Que fique chorando sozinho!
Alegrias bebem todos os seres
No seio da Natureza:
Todos os bons, todos os maus,
Seguem seu rastro de rosas.
Ela nos deu beijos e vinho e
Um amigo leal até a morte;
Deu força para a vida aos mais humildes
E ao querubim que se ergue diante de Deus!

(Tenor solo e coro)

Alegremente, como seus sóis corram
Através do esplêndido espaço celeste
Se expressem, irmãos, em seus caminhos,
Alegremente como o herói diante da vitória.

(Coro)

Abracem-se milhões!
Enviem este beijo para todo o mundo!
Irmãos, além do céu estrelado
Mora um Pai Amado.
Milhões se deprimem diante Dele?
Mundo, você percebe seu Criador?
Procure-o mais acima do céu estrelado!
Sobre as estrelas onde Ele mora.

Meus Votos,

Adriano Rodrigues Laignier..

rui disse...

Caro Adriano,
Obrigado pelo seu excelente contributo.
Belo poema.
Um excelente 2012 para si.