"Se não te agradar o estylo,e o methodo, que sigo, terás paciência, porque não posso saber o teu génio, mas se lendo encontrares alguns erros, (como pode suceder, que encontres) ficar-tehey em grande obrigação se delles me advertires, para que emendando-os fique o teu gosto mais satisfeito"
Bento Morganti - Nummismologia. Lisboa, 1737. no Prólogo «A Quem Ler»

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Ernest Hemingway e o seu livro "The Torrents of Spring".



HEMINGWAY, Ernest – The Torrents of Spring. (First edition)

HEMINGWAY, Ernest – The Torrents of Spring. A Romantic Novel in Honor of the Passing of a Great Race. New York: Charles Scribner's Sons, 1926. Octavo. Original dark green cloth, with title printed in red to spine and front board. With the dust jacket. First Edition, First Printing with the Scribner's seal printed on the copyright page. (Later editions remove the Scribner's seal.)


HEMINGWAY, Ernest – The Torrents of Spring. (sobrecapa)

Publicado em 1926, The Torrents of Spring: A Romantic Novel in Honor of the Passing of a Great Race é o primeiro romance publicado de Ernest Hemingway.
Hanneman refere uma tiragem de 1250 exemplares para esta edição. 


Ernest Hemingway em Cuba com os filhos Patrick e Gregory (1946)

Antes deste romance, Hemingway publicou duas colecções de histórias curtas: Three Stories and Ten Poems, publicado em 1923 e In Our Time, que foi publicado em Paris em 1924 e, posteriormente, nos Estados Unidos em 1925.

Escrito em dez dias, The Torrents of Spring é uma obra satírica sobre escritores pretensiosos sobretudo da escola de Chicago. Hemingway enviou o manuscrito ao seu editor Horace Liveright no início de Dezembro de 1925, que rejeitou a sua publicação no final do mês, com a justificação de que: "it is such a bitter, and I might say almost vicious caricature of Sherwood Anderson. we are rejecting Torrents of Spring because we disagree with you and Scott Fitzgerald and Louis Bromfield and Dos Passos, that it is a fine and humorous American satire" (Gilmer 124).

Em Janeiro Max Perkins da Scribner's aceitou publicar a obra. Deste modo, e na sequência desta rejeição, Hemingway quebrou o seu contrato com Boni & Liveright e juntou-se a Scribner, que permaneceu o seu editor para o resto da sua vida.

Mas veja-se a sua sinopse:

“Set in northern Michigan in the mid-1920s The Torrents of Spring is about two men, World War I veteran Yogi Johnson and writer Scripps O'Neill, both of whom work at a pump factory. Both are searching for the perfect woman. The story begins with O'Neill returning home to find that his wife and small daughter have left him. O'Neill befriends a British waitress, Diana, at the beanery where she works and asks her to marry him immediately but he soon becomes disenchanted with her. Diana tries to impress her husband by reading books from the lists of The New York Times Book Reviews, but he soon leaves her (as she feared he would) for another waitress, Mandy, who enthralls him with literary (but possibly made up) anecdotes. O'Neill takes mescaline and hallucinates that he is President of Mexico. He appoints a third waitress, Ruby, as his vice president and plots to undo the losses of the Battle of Veracruz. Johnson, who becomes depressed after a Parisian prostitute leaves him for a British officer, has a period during which he anguishes over the fact that he doesn't seem to desire any woman at all, even though spring is approaching. Ultimately, he falls in love with a native American woman who enters a restaurant clothed only in moccasins, the wife of one of the two Indians he befriends near the end of the story. Johnson is cured of his impotence when, viewing a naked squaw, he is overcome by “a new feeling” which he hastens to attribute to Mother Nature, and together they “light out for the territories.” (Wikipedia)


Turgenev retrato de Vasily Perov, 1872

Talvez o mais importante contexto para ler Torrents of Spring é o da cultura literária contemporânea de Hemingway. Antes mesmo de começar o romance, Hemingway chama a atenção para o tema da cultura literária, ao utilizar um título que referencia directamente um romance anterior do século XIX escrito pelo russo Ivan Turgenev, intitulado Torrents of Spring.


TURGENEV, Ivan – The Torrents of Spring.
(edição americana de 1906)

Enquanto o romance de Turgenev foi escrito no início da década de 1870, o trabalho de Hemingway centra-se em verdade na cena literária de que Hemingway fazia pessoalmente parte.

Esta obra teve uma recepção um pouco controversa por parte do público leitor bem como pelos críticos e continua a ser considerada como uma obra-menor na produção de Hemingway.


HEMINGWAY, Ernest – As Torrentes da Primavera [The Torrents of Spring]
(edição portuguesa de Livros do Brasil)

Com este esboço sumário pretendo mostrar um dos muitos exemplos dos primeiros livros de alguns dos autores mais conhecidos que nem sempre reflectem o conjunto final da sua obra.

Espero ter despertado o vosso interesse para o estudo do percurso de algum dos autores da vossa preferência, pois julgo que é um trabalho sempre fascinante e enriquecedor dos nossos conhecimentos.

Claro que biblofilamente é uma obra de valor relativamente alto e procurada pelos coleccionadores das obras de Hemingway. (com muitos aficionados nos EUA e não só…)

Saudações bibliófilas.


2 comentários:

Marco Fabrizio disse...

Caro Rui.
Muy buena la nota, con la que acompañas el hermoso ejemplar de la edición príncipe de Torrens of spring. Es increíble lo que pueden llegar a costar las príncipes de Hemingay.

saludos bibliófilos

Rui Martins disse...

Caro Marco
Gracias por tu comentario. Es verdad que todas las obras de Hemingway tienen altos precios en el mercado bibliófilo sobre todo en lo estadounidense. Esto ejemplar en estas condiciones, con sobrecubierta original e en muy bueno estado (que es cuasi tan rara como el libro!) costará siempre más de $9.000.
Un abrazo