"Se não te agradar o estylo,e o methodo, que sigo, terás paciência, porque não posso saber o teu génio, mas se lendo encontrares alguns erros, (como pode suceder, que encontres) ficar-tehey em grande obrigação se delles me advertires, para que emendando-os fique o teu gosto mais satisfeito"
Bento Morganti - Nummismologia. Lisboa, 1737. no Prólogo «A Quem Ler»

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Renascimento, S A – Leilão da Biblioteca do Dr. Artur Nobre de Gusmão e outras Proveniências

 
 
 

Como já nos habituou, esta firma vai realizar mais um dos seus leilões de livros com um bom catálogo elaborado por José Vicente.

O evento decorrerá nos dias 31 de Maio, 1, 2 e 3 de Junho, pelas 21h30 na sede da empresa em Lisboa.

Os lotes podem ser consultados, no mesmo local, nos dias 28 de Maio, das 11h às 20h, 29 e 30 de Maio, das 15h às 20h.

Se em todos os leilões podemos tentar entender a personalidade, a actividade ou as paixões do seu proprietário, esta é daquelas que não nos deixa grandes dúvidas.

Trata-se de uma biblioteca pertença dum grande conhecedor e estudioso das Belas-Artes, onde as obras sobre esta temática e com edições de séculos diferentes são em número significativo (refira-se que as obras de literatura são escassas, mas bem escolhidas).

Mas afinal que era Artur Nobre de Gusmão?


Prefácio do Catálogo

Ainda que não reuna grandes raridades, em termos absolutos, representa uma vida de pesquisa e aquisição de obras que hoje constituem um conjunto de facto invejável.

Como muitos de nós já escreveram, e que eu subscrevo, podemos constituir bibliotecas interessantes de várias temáticas desde que estabeleçamos um bom plano, claro que haverá sempre “desvios” (e eles também estão presentes nesta biblioteca), mas o essencial é o acervo principal.

Fácil será compreender que o valor é mais pelo conjunto das obras em si do que por estas separadas, mas é claro que existem peças de inquestionável qualidade e mesmo raridade.

Do conjunto deixo aqui alguns apontamentos.



172. AZEVEDO, Martim Cardoso de. - HISTORIA // DAS // ANTIGUIDADES // DE // EVORA // PRIMEIRA PARTE // REPARTIDA EM DEZ LIVROS, // ... // POR // AMADOR PATRICIO. // PRIMEIRA IMPRESSÃO, // E Á CUSTA DE // FRANCISCO MENDEZ. // EVORA, // Na Officina da Universidade. Anno de 1739. In- 8º de [24], 342, [2] págs. Enc.

Primeira edição. RARA. Ilustrada com diversas vinhetas no texto. Assinatura antiga no frontispício e manchas de humidade. Encadernação da época em inteira de carneira, com defeitos.



443. CAPELLO E R. IVENS, H. - DE ANGOLA Á CONTRA-COSTA. Descripção de uma viagem através do Continente Africano. Volume I (e Volume II). Lisboa. Imprensa Nacional. 1886. 2 Vols. In-8º Encs.

Raro. Ilustrados com gravuras no texto e em separado e mapas em folhas desdobráveis. Encadernações em meias de pele. Conservam as capas de brochura, o que é pouco frequente. Em magnifico estado de conservação.





445. CARICATURAS E DESENHOS. Importante conjunto de caricaturas e desenhos de ilustradores portugueses, destinados à Revista Flama, ONDE FORAM PUBLICADOS NA DÉCADA DE 1950, e que descrevemos:

Jorge Rosa; 95 desenhos e caricaturas; José Ruy 11 caricaturas e desenhos; José Antunes: 32 desenhos e caricaturas; J. Godinho: 38 desenhos e caricaturas; Agostinho (ou Vasco): 36 caricaturas e desenhos; Carlos F. Mendes: 9 caricaturas e desenhos; Armando Anjos: 2 desenhos; Sampaio: 2 desenhos; Santal: 3 desenhos; Oliveira Pinto: 2 desenhos; Manel: 4 desenhos e caricaturas; J. Gomes: 1 desenho; João Vieira: 1
desenho; Asa (ou Sampaio): 4 desenhos; Arlindo Vicente: 2 desenhos; Arq. Mário de Oliveira: 1 desenho; Artur Correia: 1 desenho; Não assinados: 97 (alguns têm traços de José Ruy). 342 Desenhos e Caricaturas. Acondicionados em 3 Pastas.
Conjunto valioso. A Revista Flama iniciou a sua publicação em 5 de Fevereiro de 1937 e encerrou a 2 de Setembro de 1976.
Foi seu primeiro director António dos Reis Rodrigues. A revista foi durante muitos anos responsável pela eleição das rainhas da Rádio e Televisão.



623. FARIA, Manuel Severim de. - NOTICIAS // DE // PORTUGAL // ESCRITAS POR // ... // CHANTRE E CONEGO DA SÉ E EVORA. // EM QUE SE DECLARAM AS GRANDES COMMODIDADES, QUE TEM // para crescer em gente, industria, commercio, riquezas, e forças militares por // mar, e terra, as Origens de todos os appellidos, e Armas das Familias // Nobres do Reyno, as Moedas, que correrão nesta Provincia do // tempo dos Romanos atè o presente, e se referem varios // Elogios de Principes, e Varoens Illustres Portuguezes. // Nesta segunda Impressão acrescentadas, // PELO PADRE // D. JOZÉ BARBOSA // ... // LISBOA OCCIDENTAL, // Na Officina de Antonio Isidoro da Fonseca. // Anno de M.DCC.XL. In-4º de [22], 446 págs. Enc.

Segunda edição. Clássico apreciado e Raro. Pequeno restauro numa das folhas preliminares sem ofensa do texto. De resto em bom estado de conservação. Encadernação da época em inteira de carneira. Samodães, 3170





894. FERNANDO II, Rei D. - ALBUM. 77 Folhas com desenhos, em pontas secas, muitas com desenhos duplos, de autoria do Rei Artista, que representam paisagens, animais, monumentos, cavalos, etc., etc. Lisboa. S. data. (Séc. XIX). In-Fólio. Enc. Conjunto precioso. Algumas folhas com picos de acidez. Encadernação sem valor.




1304.  REGRA // DO GLORIO // SO PATRIAR- // CHA S. BENTO. // TIRADA DE LATIM EM LINGUA // gem Portuguesa. // POR INDVSTRIA DO RE- // uerendissimmo P. Fr. Thomas do // Socorro Geral nesta Con- // gregação de Portugal, // segunda ves // impressa. // Impressa em Coimbra em casa de Nicolao Car- // ualho Impressor da Vniuersidade no // Anno de 1632. In-8º peq. de [4], 47, (aliás, 48) Fls. Enc.

RARISSIMA. Ilustrada com o retrato de S. Bento, aberto a buril em chapa de cobre e ornada de belas letras de fantasia. Com algumas manchas de humidade. Pequeno buraco no frontispício de onde retiraram uma assinatura antiga. Encadernação do século XIX estalada na lombada e com defeitos. Samodães, 2656.

 


1366. S. LUIZ, Cardeal Saraiva, Francisco de. - OBRAS COMPLETAS DO... Patriarca de Lisboa. Precedidas de uma introdução pelo Marquez de Resende. Publicadas por António Correia Caldeira. Tomo I (ao Tomo X). Lisboa. Imprensa Nacional. 1872 (a 1883). 10 Vols. In-8º. Brs.

Contém estudos valiosos, tantos históricos como literários, descobrimentos portugueses e inquisição. O primeiro volume ilustrado com o retrato do autor. Capas de brochura de alguns volumes com defeitos.



1673. CANCIONEIRO. I Salão dos Independentes. Lisboa. Imprensa Libanio da Silva. 1930. In-Fólio de 27, [1] págs. Enc.

Inclui poemas de Cesário Verde, Camilo Pessanha, Ângelo de Lima, e Mário de Sá Carneiro, Miguel Torga, Casais Monteiro, Alfredo Guisado, Álvaro de Campos, António Ferro, António Pedro, Fernando Pessoa, Mário Saa, etc., etc. Numa caixa estojo, com artísticos desenhos a cores na pasta da frente. Peça de colecção.

Para terminar, fica a referência a alguns dos muitos manuscritos presentes para venda.








Espero que esta divulgação vos agradasse e que a leitura do catálogo, um bom repositório de obras de bibliofilia, seja, para todos aqueles que se interessem por arte, um instrumento de consulta e, quem sabe, com algumas delas enriquecerem as vossas bibliotecas.


Saudações bibliófilas.

4 comentários:

Galderich disse...

Buena propuesta de libros...
A pesar de todo, el último, el número 1782 lo veo dudoso. El manuscrito es original pero las ilustraciones yo diria (con lo poco que se ve la imagen) que son actuales.
Si se observa bien, además que el libro no tiene márgenes (cosa impropia para una libro ilustrado) por debajo de las ilustraciones salen unas cuantas letras que fueron tapadas por el ilustrador para dar sensación de antigüedad al libro. Vaya esto es lo que veo y he visto muchas veces en Estambul como práctica para vender libros o ilustraciones miniadas a turistas.
Un abrazo.

lamberto palmart disse...

Como siempre Renascimento publica un catálogo surtido e interesante, tanto en libros como en manuscritos.

La subasta de la biblioteca de Artur Nobre de Gusmão, nos recuerda que las colecciones privadas fluyen, y que los libros que con ilusión formaron la librería de un viejo bibliófilo, llenarán con ilusiones renovadas las estanterías de nuevos bibliófilos, adquiriendo cada volumen un invisible bagaje que es su porcedencia.

Por cierto muy acertada la observación de Galderich. Sin duda la iluminiación del manuscrito está realizada encima del texto, lo que provoca serias dudas sobre su originalidad.

Saludos bibliófilos.

rui disse...

Caro Galderich e Marco Fabrizio

Vão-me perdoar, mas não posso estar de acordo com o vosso comentário que põe em causa a autenticidade do lote 1872.
Mas vejamos a respostas detalhada que José Vicente, conceituado livreiro e perito, me enviou para completo esclarecimento desta questão:
“1 – Fico surpreendido que este senhor consiga ver a falsificação através da fotografia, sem mais quaisquer dados.
2 – Afirma que o livro não tem margens! Então elas não estão bem patentes na lateral direita da fotografia?. Quanto à margem esquerda, para quem percebe de livros, verá que as obras foram abertas e como têm a margem curta ela não é perceptível na fotografia. As legendas no cimo e baixo da gravuras são o poema ou descrição das respectivas gravuras.
Também as pontas de texto que se observam e o vosso leitor refere, são as sombras do texto da folha posterior.
3 – Istambul!... Isto são manuscritos persas do século XVIII, embora eu na dúvida as tenha datado dos sécs. XVIII/XIX.
4 – É evidente que cada pessoa tem a sua opinião própria, que eu respeito. Contudo, ela tem de ser abalizada no conhecimento, na verificação e se necessário nos testes de laboratório.
Agora assim sem elementos válidos…
5 – Encerro aqui esta questão, embora eu saiba que a minha imagem de livreiro sério e responsável foi posta em causa – ou não para quem perceba desta matéria. Ao cabo de mais de 50 leilões de livros por mim realizados, é a primeira vez que recebo um comentário desta natureza. Talvez antes de inserir este comentário no blog deveria ter falado comigo e eu lhe daria estas informações que aqui incluo, mas o que está feito – está feito.”

Penso que pela amizade que nos une em torno destas nossas conversas este esclarecimento é indispensável para o bom nome de todos.

Que desta "discussão" saia reforçado o nosso relacionamento e que a bibliofilia seja a principal beneficiada.

Um abraço

lamberto palmart disse...

Aunque el experto perito y librero Jose Vicente, que da la impresión que le ha molestado un poco que se ponga en duda su acertado criterio, diga que las continuaciones de texto que se aprecian (sobre todo en la primera línea de texto debajo de la ilustración del cervatillo que se va perdiendo debajo de ella) son sombras del verso de la hoja, no me convence lo suficiente y sigo sin estar de acuerdo.
Lo cual no implica que sea una falsificación actual, pero si que las ilustraciones han sido pintadas sobre el texto. Puede ser una rectificación de época, pero negar la evidencia no me parece correcto.
De todos modos es una opinión personal que no tiene mayor importancia y quien vaya a pujar por este lote sólo tiene que cerciorarse in situ.

Saludos bibliófilos.