"Se não te agradar o estylo,e o methodo, que sigo, terás paciência, porque não posso saber o teu génio, mas se lendo encontrares alguns erros, (como pode suceder, que encontres) ficar-tehey em grande obrigação se delles me advertires, para que emendando-os fique o teu gosto mais satisfeito"
Bento Morganti - Nummismologia. Lisboa, 1737. no Prólogo «A Quem Ler»

sábado, 29 de maio de 2010

Baumann Rare Book – May Catalogue: Important Books and Documents and Their Stories



Recebi mais um destes apreciados catálogos e, por isso, quero deixar aqui uma breve notícia sobre este, pois que apresenta alguns títulos que nos podem interessar (ainda que os seus preços me pareçam manter-se totalmente alheados da crise económica mundial ... parece que a bibliofilia está noutra dimensão!)

Logo na abertura apresenta:
1. GOYA Y LUCIENTES, Francisco José de. Los Desastres de la Guerra. Madrid, 1863. Total of 80 numbered and titled copperplate etchings. Oblong folio (13-1/2 by 9-3/4 inches; each image 8 by 6 inches), contemporary half red morocco gilt.





Primeira edição do "maior dos protesto brutalmente selvagem contra a crueldade e a guerra que a imaginação visual do Homem concebeu" — um dos 500 exemplares impressos. Impressões delicadas, com variações de tonalidades, ue desaparecem nas edições posteriores.




Mais adiante temos um conjunto de obras referentes à Revolução e Independência da América:
“When considering the primary books and documents of the American Revolution, it is humbling to consider how powerful the printed word was in those years—that books not only recorded events, they caused them.”




Merece destaque:
18. PAINE, Thomas – Common Sense; Addressed to the Inhabitants of America. New York, 1776. Octavo, modern full navy morocco gilt.

“It is not too much to say that the Declaration of Independence of July 4, 1776, was due more to Paine’s Common Sense than to any one other single piece of writing” (Grolier American 14). Nesta edição de Nova York, impressa a partir do texto da primeira edição, é extremamente rara — não apareceram exemplares em leilão nos últimos 30 anos. Um exemplar antigo excepcionalmente raro e desejável deste marco da Revolução Americana.




Winston Churchill figura com um, conjunto de obras, algumas com a sua assinatura.




Segue-se um conjunto de obras de Mark Twain.




Transcrevo a opinião de  Ernest Hemingway sobre “Adventures of Huckleberry Finn (Tom Sawyer’s Comrade)”:
“All Modern Literature Comes From One Book By Mark Twain. It’s The Best Book We’ve Had”




Ernest Hemingway, que aliás, também está incluído e com um bom conjunto de obras.




Não posso deixar de referir a presença de:
56. HEMINGWAY, Ernest – in our time. Paris: Three Mountains Press, for sale at Shakespeare and Company, 1924. Quarto, original tan printed boards,custom chemise and half morocco slipcase.
que é um dos  títulos mais raros da sua bibliografia, senão mesmo o mais raro!




Muitas outras obras estão incluídas e merecem ser apreciadas, mas para isso deixo o critério à vossa escolha.




Espero que a consulta deste catálogo tenha sido do vosso agrado.


Saudações bibliófilas.

3 comentários:

Marco Fabrizio Ramírez Padilla disse...

Rui.

La lectura de los catálogos de Bauman provoca siempre una lista de deseos inalcanzables.

Me apunto con el "Leviatán" y la 1a edición de "Frankestein".

Saludos.

lamberto palmart disse...

Un catálogo excepcional. En algunos lotes se ofrecen verdaderos trozos de la historia norteamericana. Estoy seguro que será un exito entre la bibliofilia de los Estados Unidos.

Saludos bibliófilos

rui disse...

Estimado Marco Fabrizio

Como se costuma dizer: “Em Roma sê romano!”

Foi neste espírito, “tentando pensar à americana”, que fiz as minhas opções quanto à raridade dos livros presentes neste catálogo (pelo menos segundo aquilo que julgo conhecer).

Com efeito na história “Common Sense” de Thomas Paine parece-me bastante raro e na literatura “In our time” de Ernest Hemingway é seguramente um dos livros mais raros da sua bibliografia e com bastante procura.

Mas cada um tem os seus gostos; e, mesmo os meus, nem sempre coincidem com o que escrevo, pois tento sobretudo divulgar.

Caro Lamberto

Como sempre é um grande prazer reencontrar-te neste “teu” espaço!

Quanto à qualidade destes catálogos parece-me ser facto, aceite por todos, que são excepcionais.

No entanto, quanto ao seu êxito não estou tão seguro, pois se reparares nos outros catálogos, de que fiz a divulgação, aparecem algumas obras que se vão repetindo ... os preços não são muito acessíveis e a crise económica está instalada.

Um forte abraço