"Se não te agradar o estylo,e o methodo, que sigo, terás paciência, porque não posso saber o teu génio, mas se lendo encontrares alguns erros, (como pode suceder, que encontres) ficar-tehey em grande obrigação se delles me advertires, para que emendando-os fique o teu gosto mais satisfeito"
Bento Morganti - Nummismologia. Lisboa, 1737. no Prólogo «A Quem Ler»

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

«Livraria Castro e Silva» - Catálogo 119 – Janeiro de 2010






Como já vem sendo hábito este livreiro-antiquário editou mais um dos seus catálogos – o Catálogo 119.



Com um conjunto de obras que cobrem uma temática vasta não posso, no entanto. de realçar o seu «Suplemento» onde se encontram as obras mais “queridas” aos bibliófilos.

Deste acervo destaco, como sempre ao acaso, alguns títulos:


335. ALVAREZ DE COLMENAR. (Don Juan) LES DELICES DE ESPAGNE & DU PORTUGAL, où on voit UNE DESCRIPTION EXACTES DES Antiquitez, des Provinces, des Montagnes, des Villes, des Rivieres, des Ports de Mer, des Fortesses, Eglises, Academies, Palais, Bains, &c. DE LA RELIGION, DES MOEURS, des habitants, de leurs fêtes, & généralment de tout ce quíl y a de plus remarquable. Le tout enrichi de Cartes Geographiques, trés-exactes & de figures en Taille-douce, deffinées sur les lieux mêmes, Par... Nouvelle Edition, revûe, corrigée & beaucoup augmantée.ALEIDE, Chez PIERRE VANDER Aa, Marchand Libraire, Demeurant dans l'Academie. MDCCXV (1725). TOME PREMIER, qui comprend, outre l'etat de l'ancienne Espagne, les Provinces de Biscaye, d'Asturie, de Galice, de Leon, & de la vielle Castille. TOME SECOND Qui contient la Castille Nouvelle. TOME TROISIEME Qui comprend, les Provinces d'Andalousie, & de Grenade, & de lÍle de Cadix. TOME QUATRIEME, Qui comprend le reste de Grenade, les Provinces de Murcie, de Valence, de Catalogne, d'Aragon & de Navarre, & les Iles de Majorque, & de Minorque, &c. TOME CINQUIEME Qui comprend, les six Provinces du Royaume du Portugal. TOME SIXIEME Qui contient, une Description générale & abrégée de toute l'Espagne & du Portugal, des qualitiez de l'air & du terroir, des moeurs des Espagnols & des Portugais, de Leur Réligion, de leur Gouvernement, &c. 6 tomos em 5 de 17x10 cm. Encadernações inteiras de pele da época. Livro de viagens em Portugal e Espanha profusamente ilustrado com 5 frontispicios e 158 mapas e gravuras muitas de página dupla. [E] The present work on Spain and Portugal was richly illustrated with maps and engraved plates.


338. BARTOLOZZI. (Francisco) MISSALE ROMANUM EX DECRETO SACROSANCTI CONCILII TRIDENTINI RESTITUTUM; S. PII V. PONT. MAX. JUSSU EDITUM. CLEMENTIS VIII. ET URBANI VIII. AUCTORITATE RECOGNITUM; Cum omnibus aliorum Sanctorum Missis novissimè per Summos Pontifices enarratis, ac universis Ditionibus Fidelissimorum Lusitaniae Regum hucusquè pro utroque Clero concessis Iocupletatum. OLISIPONE. EX TYPOGRAPHIA REGIA. ANNO M. DCC. XX. (1720) In fólio de 38x25 cm. Com lix, 624-ccxxiv-71 pags. Encadernação artística da época inteira de marroquim vermelho calandrada, muito fresca, com decoração a ouro nos planos (idênticos e lombada talhada nos sete entre-nervos. Trabalho a ouro na espessura das pastas e seixas. Cortes dourados por folhas. Conserva o fitilho, os marcadores e dois fechos em metal dourado. Tranchefila da coifa superior a necessitar de restauro. Edição de excelente qualidade gráfica, impressa a duas colunas a preto e vermelho, com notação musical, ilustrada com oito magnificas gravuras de página inteira abertas a talhe-doce, da autoria de Francisco Bartolozzi (3) e do seu discípulo Francisco Tomás de Almeida (5); inclui ainda vinheta alegórica no rosto. O exemplar, muito limpo e com grandes margens, inclui 38 inserções de fólios de menor formato, publicados entre 1919 e 1947, actualizando a liturgia, na maioria dos casos no Próprio dos santos portugueses. O que denota que esteve ao uso eclesiástico até cerca de 1950. Francisco Bartolozzi, (1728-1815) famaso gravador de origem italiana. Contratado no ano de 1768 em Londres, por D. João VI, veio para Portugal, terminar em gloria a sua longa carreira artística (cerca de 2000 gravuras) Dirigiu uma “Escola de Gravura”, com o fim de “promover o adiantamento da Impressão Regia”. Introduziu entre os seus discípulos portugueses (entre eles destacam-se Gregório Francisco de Queiroz e Viera Portuense) uma nova técnica de abrir gravuras, o ponteado (ou pointillé) engenhoso processo que combina a água-forte com leves acabamentos a buril. Para a biografia deste insigne artista provavelmente o último chamado a Portugal para maior gloria das nossas artes, na linha histórica dos primitivos impressores e dos ilustradores como Debrie entre outros. Ernesto Soares, vide a obra Francisco Bartolozzi e os seus discípulos em Portugal, por ..., 1930. “Missais; Entre as numerosas produções artísticas saídas dos prelos da antiga Imprensa Régia, avultam, entre as mais notáveis os Missais e os Breviários. Ilustrados com estampas, reprodução de gravura a buril, a ponteado ou litografadas, os exemplares ainda existentes aparecem, geralmente, incompletos ou conservam-se ainda hoje destinados ao culto.” O presente Missal Romanum terceiro (1793, 1808 e 1820) e último é descrito no número 79: “Missal Romanum ex Decreto... Contém as seguintes estampas: a) No frontispício – Vinheta aberta a buril, ostentando de um lado a figura do Papa e do outro uma mulher personificando a Fé. Aberta a ponteado. Subs. T. A. Lima gravou. b) Anunciação. Subs. F. T. de Alm.ª Descip. D’ F. Bartolozzi sculp. 1809. c) Nascimento. Subs. Conca pinxit. – F. Bartolozzi sculp. em Lisboa em 1810, tendo de idade 84 annos. d) Ascenção. Subs. F. Bartolozzi, Sculp. Em Lx.ª em 1813 de idade de 86 annos. e) Ressurreição. Subs. F. T. d’Almª Descp. D’F Bartolozzi sculpt. 1808. f) Assunção da Virgem. Subs. Bartolozzi sculpt. Lisboa 1811. g) Descida do Espirito Santo. Subs. – F. T. de Alm. ª Descipulo F. Bartolozi sculpt. 1809. h) Ceia. Subs. F. T.
de Alm.ª descp. De Bartolozzi sculp. em Lx.ª em 1811. Posteriormente a este Missal, que deve ter sido o último ilustrado com estampas abertas em chapa de cobre, aparecem ainda dois, datados de 1860 e 1867, mas com ilustrações litográficas.”



356. MENDES DE CASTRO. (Manuel) REPERTORIO DAS ORDENACOES DO REYNO DE PORTUGAL novamente Recopiladas. Com as Remissões dos Doutores do Reyno, que as declarão, & concordia das Leis de partida de Castella. Composto pelo Licenciado MANVEL MENDEZ de Castro Aduogado nos Conselhos de sua Magestade na Corte de Castella. Dirigido ao Excellentissimo Senhor DOM Francisco de Rojas, y Sandoual, Duque de Lerma, Marques de Denia, do Conselho de Estado del Rey nosso Senhor. COM PRIVILEGIO REAL. Impresso com licença Em Lisboa por Jorge Rodriguez. Anno de M.DCIIII (1604). De 27x20 cm. Com 138 pags. Encadernação da época em pergaminho flexível. Página de rosto impressa a duas cores e texto com anotações marginais impressas. Exemplar com pequena assinatura de posse na página de rosto. 1ª edição de quatro mencionadas por Inocêncio até ao ano de 1725. INOCÊNCIO VI, 59. “MANUEL MENDES DE CASTRO, Doutor em Direito Civil pela Univ. de Salamanca, e incorporado depois na de Coimbra onde regeu por vezes algumas cadeiras como Substituto. Foi Advogado em Madrid e Lisboa, e Procurador da Corôa na Casa da Supplicação, gosando em seu tempo do credito de abalisado jurisconsulto. - N. em Lisboa, ignora se o anno da nascimento, bem como o do obito; mas parece que já era finado em 1623. A multiplicidade das edições prova a utilidade e prestimo da obra durante mais de um século.”


Boa consulta, e, como podem constatar, encontram-se livros com boa qualidade, e raridade, nos nossos livreiros-antiquários.
Com um pouco de paciência, e muita persistência, conseguimos ir formando uma biblioteca bastante interessante ... assim a nossa bolsa consiga suportar a nossa paixão.

Saudações bibliófilas.

4 comentários:

Galderich disse...

Rui,
Ahora lo consulto pero el tema de la ilustración para las Delicias de España y Portugal... no creo que fuese, o si, una buena propaganda...

rui disse...

Galderich
Tens razão, mas creio que o livreiro optou por uma boa gravura sobre um tema que é indissociável da nossa História: a Inquisição e os seus autos-de-fé.
Ao publicá-la fiz com a consciência de que esse "pesadelo" e grande entrave para o nosso desenvolvimento cultural não deve nunca ser esquecido. Terá sido mesmo uma das causas da nossa “decadência”.
Leia-se o que escreveu Guerra Junqueiro e realço o que aconteceu com Bocage (aqui já sumariamente referido) e isto, em pleno séc. XVIII, com a Revolução Francesa em curso!
Um abraço

Diego Mallén disse...

Amigo Rui: he recibido el catálogo y ciertamente los precios de los libros españoles que contiene (Vida de Santa de Portugal y Alfabetos Ibéricos) son extremadamente altos. Al mundo de los libros parece no afectar la tremenda crisis económica actual lo cual es de alegrarse.

Saludos bibliófilos.

zemaria disse...

Tenho este livro à venda:

http://www.custojusto.pt/Lisboa/2499442.htm