"Se não te agradar o estylo,e o methodo, que sigo, terás paciência, porque não posso saber o teu génio, mas se lendo encontrares alguns erros, (como pode suceder, que encontres) ficar-tehey em grande obrigação se delles me advertires, para que emendando-os fique o teu gosto mais satisfeito"
Bento Morganti - Nummismologia. Lisboa, 1737. no Prólogo «A Quem Ler»

domingo, 10 de janeiro de 2010

Biblioteca do Dr. Laureano Barros – Leilão





Dr. Laureano Barros

Como já deixei uma notícia sumária, a «Livraria Manuel Ferreira» vai leiloar a II Parte desta importante biblioteca.

Em Maio, conforme aqui deixei notícia Livreiros-Antiquários: Divulgação realizou-se o Leilão da I Parte desta biblioteca, com inegável sucesso, conforme se pode concluir pela nota que aqui ficou, Leilão da “Biblioteca do Dr. Laureano Barros” (Primeira Parte)

Mas quem era afinal o Dr. Laureano de Barros? Para aqueles que não conheçam muito bem este ilustre bibliófilo, e sobretudo homem de elevado caracter moral e cívico, sugiro que leiam: http://www.publico.clix.pt/Cultura/laureano-barros-o-homem-que-fugiu-com-uma-biblioteca_1390333, artigo saído a lume no jornal «Público» de 05/07/2009 por Paulo Moura.

O «Catálogo», em formato digital, já se encontra disponível, o que facilita a pesquisa de livros e temas de acordo com as nossas preferências. Dos dois volumes, que constituem os catálogos desta venda, deixo aqui os respectivos links:



Estes «Catálogos», pela excelente qualidade informativa e pormenorizada dos descritivos do conteúdo desta biblioteca, constituirão seguramente uma fonte de consulta obrigatória no futuro para o estudo da nossa bibliofilia, pelo que sugiro que os tentem conseguir obter e guardar para consultas posteriores.

Fica aqui parte do “press release” enviado à imprensa, pela «Livraria Manuel Ferreira», onde se destacam as referências deste importante Leilão:


«Livraria Manuel Ferreira»

LEILÃO DA IMPORTANTE BIBLIOTECA DO DR. LAUREANO BARROS, ORGANIZADO PELA LIVRARIA MANUEL FERREIRA

Porto, 7 de Janeiro de 2010

A Livraria Manuel Ferreira anuncia neste início de novo ano a realização da segunda parte do leilão da Biblioteca do Dr. Laureano Barros, uma das mais valiosas bibliotecas particulares constituídas no século XX.

Este leilão, a decorrer entre os dias 21 a 23 e 27 a 30 e Janeiro, realizar-se-á no Salão Nobre da Junta de Freguesia do Bonfim, no Porto, com início às 21 horas. A terceira parte, com data a definir, será oportunamente anunciada.

Nesta segunda parte destacamos o excepcional espólio de manuscritos e edições de Luiz Pacheco, que apresentaremos para venda em exclusivo no último dia; as
«Leis Extravagantes» de Duarte Nunes de Leão, datadas de 1569; a edição original de «Só» de António Nobre: de Almada Negreiros salientamos a polémica edição do «Manifesto Anti-Dantas», «K4 Quadrado Azul», «Bailados Russos em Lisboa», assim como a muito esclarecedora edição d’«A Questão dos Painéis»; entre outras, as revistas «Orpheu» e «Manifesto» estarão disponíveis nesta segunda parte; de Almeida Garrett, «Viagens na Minha Terra», «Folhas Caídas», o semanário «O Chronista» totalmente redigido por Garrett; de Herberto Helder, a raríssima edição publicada por Luiz Pacheco nas edições Contraponto, «O Amor em Visita», «A Colher na Boca», segundo livro do autor, assim como o raríssimo catálogo de uma exposição de pintura de Maria Paulo, com texto em prosa de Herberto Helder.

Entre muitos outros, salientamos ainda autores incontornáveis da cultura portuguesa como Frei Bartolomeu dos Mártires, Francisco Rodrigues Lobo, Francisco Manuel de Melo, António de Sousa Macedo, Francisco Sá de Miranda, Damião de Gois, Fernão Lopes, António Pereira de Figueiredo, Tomás António Gonzaga, Agostinho de Macedo, Alexandre Herculano, Guerra Junqueiro, Oliveira Martins, Ramalho Ortigão, Gomes Leal, Wenceslau de Moraes, Manuel Laranjeira, Egas Moniz, Vitorino Nemésio, Fernando Namora, Pedro Homem de Mello, Vergílio Ferreira, Alexandre O’Neill, António Maria Lisboa, António Gedeão, Ana Hatherley.

Do espólio desta admirável biblioteca. A leiloar na terceira parte do leilão, ficam a aguardar as primeiras edições de «Peregrinação» de Fernão Mendes Pinto, as primeiras edições dos «Sermões» do Padre António Vieira e do raríssimo «Livro de Cesário Verde»; as edições originais das obras de Verney e a dos autores que se vincularam à polémica que o seu «Verdadeiro Método de Estudar» trouxe a lume; outras referências da literatura portuguesa do século passado como Teixeira de Pascoaes, Camilo Pessanha, Fernando Pessoa, António Pedro, José Cardoso Pires, Eça de Queiroz, Antero de Quental, José Régio, Aquilino Ribeiro, José Saramago, Jorge de Sena, Miguel Torga, Carolina Michaelis de Vasconcelos, Mário de Sá Carneiro, Leite de Vasconcelos, Mário Cesariny de Vasconcelos, Cesário Verde. (...)

Boa leitura e consulta dos Catálogos. Encontrarão certamente um, ou vários títulos, de interesse, a questão dependerá apenas do gosto e das potencialidades financeiras de cada um ... boa escolha!

Saudações bibliófilas.

3 comentários:

Galderich disse...

Rui,
Por lo que veo era una biblioteca muy extensa dedicada sobretodo al libro portugués, del que tiene de todo y de todas épocas.
Buena biblioteca, si señor!
Gracias por la noticia.

Marco Fabrizio Ramírez Padilla disse...

Rui.

Los bibliófilos portugueses deben estar esperando con ansia la subasta.
Debe resultar muy grato que las actividades sobre libro antiguo sean tan abundantes.

Saludos y nuevamente gracias

rui disse...

Caros Galderich e Marco
Esta biblioteca é, ou melhor era, uma das mais importantes de Portugal, pois com a sua dispersão dificilmente se reunirá outra igual num futuro próximo.
Não era uma biblioteca de bibliofilia “purista”, pois tem livros desde os primórdios até à actualidade, como bem nota o nosso amigo Galderich; no entanto, reúne um conjunto de obras de inegável raridade e qualidade.
Com efeito amigo Marco, todos nós estamos impacientes com este leilão na expectativa de conseguirmos alguns exemplares que possam enriquece as nossas colecções.
De facto a bibliofilia portuguesa parece não se ter ressentido muito da crise, pois os leilões têm sido frequentes e registam boa participação e com resultados bastante interessantes ... e dei só notícia de alguns, mas muitos outros houve.
Saudações bibliófilas