"Se não te agradar o estylo,e o methodo, que sigo, terás paciência, porque não posso saber o teu génio, mas se lendo encontrares alguns erros, (como pode suceder, que encontres) ficar-tehey em grande obrigação se delles me advertires, para que emendando-os fique o teu gosto mais satisfeito"
Bento Morganti - Nummismologia. Lisboa, 1737. no Prólogo «A Quem Ler»

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Colofon – Boletim Bibliográfico de Fevereiro de 2014



Mariz, António de (impressor) – “PSALTERIUM DAVID REGIS”, Coimbra, 1588. 279 f. [5].
12 x 6cm. Encadernado.
Edição quinhentista do Livro de Salmos do Rei David.
 (Obra à venda nesta Livraria)

Francisco Brito da Colofon – Plataforma das Artes e da Criatividade | Laboratório 4 sito na Avª Conde Margaride, nº 175 em Guimarães iniciou-se recentemente nesta aventura de livreiro-antiquário com o lançamento de um Catálogo – Boletim Bibliográfico.

Deverá ter sido preciso uma grande dose de coragem e bastante empenho, pois que presentemente muitos são aqueles que atravessam dificuldades para se manterem em actividade, face à crise económica que atravessamos, e alguns tiveram, ou estão a ter, necessidade de fechar as portas.
Para além de lhe endereçar os meus votos de grandes sucessos, não quero deixar de escrever um curto apontamento sobre este Boletim Bibliográfico que me parece de edição e escolha criteriosa e cuidada.




Saliento no conjunto deste primeiro Boletim Bibliográfico estas duas obras pela sua curiosidade.



19. CARO (Elme Marie). ÉTUDES MORALES SUR LE TEMPS PRÉSENT. Paris. Librairie Hanchette et Cie. 1855. 377 págs. 17cm. E.
Esta obra encontra-se dividida em duas partes, “Études Philosophiques” e “Études Littéraires”.
Este exemplar encontra-se valorizado pela assinatura de posse de Camilo Castelo Branco. A obra pertenceu à biblioteca do romancista o que, dado o conteúdo da mesma, torna este exemplar extremamente interessante e relevante para a Camiliana.
Exemplar encadernado com a lombada em pele decorada a ferros a ouro.



63. JORNAL DE BELLAS ARTES//OU//MNÉMOSINE LUSITANA. Lisboa. Na Impressão Régia. 1816. 432.p. e 14 págs. 18cm.E.
Primeiro volume desta curiosa obra da autoria de Pedro Alexandre Carvoé, onde se podem encontrar diversos artigos sobre a cidade de Lisboa, descrições de monumentos, poesias, narrativas, curiosidades, etc. 



Este volume encontra-se enriquecido por seis gravuras abertas em chapa de cobre por Carvoé, onde se podem ver representados o Aqueduto das Águas Livres, um monumento sepulcral (do príncipe Waldeck) no Cemitério dos Ingleses, Real Teatro de S. Carlos, o Convento de Nossa Senhora de Jesus, do Palácio do Governo e, ainda os planos de “hum moinho movido por água, inventado por Filipe Arnaud, mandado executar pelo Illustrícimo e Excelentíssimo Senhor D. José António de Menezes e Sousa, Principal da Santa Curia Patriarcal, Governador do Reino”.
Sobre esta obra disse Inocêncio que “os exemplares poucas vezes e encontram de venda”. Raro.
Exemplar com encadernação da época com a lombada danificada. Miolo irrepreensível.


Saudações bibliófilas.

1 comentário:

Colofon Livros disse...

Caro Dr. Rui Martins,

Agradeço-lhe a divulgação do meu catálogo no seu bolg, o que muito me honra, bem como as palavras que me endereça.

Ficar-lhe-ia agradecido se me enviasse o seu contacto de e-mail (para colofon.pt@gmail.com), para que lhe possa transmitir com regularidade as minhas novidades bibliográficas.

Melhores cumprimentos,
Francisco Brito