"Se não te agradar o estylo,e o methodo, que sigo, terás paciência, porque não posso saber o teu génio, mas se lendo encontrares alguns erros, (como pode suceder, que encontres) ficar-tehey em grande obrigação se delles me advertires, para que emendando-os fique o teu gosto mais satisfeito"
Bento Morganti - Nummismologia. Lisboa, 1737. no Prólogo «A Quem Ler»

domingo, 30 de outubro de 2011

Pedro de Azevedo - Leiloeiro, Livreiro – Leilão da Bibliotheca Typographica de Manuel Pereira da Silva



 

A propósito deste evento bibliófilo, Pedro Falcão de Azevedo escreve  na sua Apresentação:

"Personalidade sobejamente conhecida no meio do Design e das Artes Gráficas, Manuel Rodrigues Pereira da Silva (1930-2008), ilustre tipógrafo poveiro, foi reputado profissional, investigador e especialista em tipografia, história do livro, desenho da letra e dos caracteres, bem como consultor gráfico, conferencista, divulgador, bibliófilo, etc.

A sua biblioteca, precioso instrumento de trabalho de uma vida, reúne perto de um milhar de livros e documentos que reflectem as suas preferências temáticas, e correspondem a cerca de cinco centenas de lotes que serão postos em praça, juntamente com outras obras, no próximo mês de Novembro.

O leilão terá lugar no Amazónia Lisboa Hotel, Trav. Fábrica dos Pentes, 12/20 (ao Jardim das Amoreiras, em Lisboa), nos próximos dias 14, 15 e 16 de Novembro, a partir das 21 horas.

Os livros estarão em exposição no local do leilão, de 12 a 16 de Novembro, das 15 às 19 horas.

O catálogo poderá ser solicitado por e-mail, correio, fax ou telefone, a partir desta data e será distribuído durante os primeiros dias do mês de Novembro.”



Pela qualidade e importância do texto, não quero deixar de citar a Introdução do referido Catálogo - Livros e Angústias da autoria de Antero Ferreira Designer de Comunicação (Design; Alquimia da Cor, Porto), bibliófilo, investigador e professor auxiliar da Subunidade Orgânica de Design da Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto. Doutorado em Belas-Artes (Design) pela Universitat de Barcelona (2003).



Na impossibilidade de poder colocar um link directo para a versão em pdf deste Catálogo, cito alguns dos seus diversos lotes:



96 BARROS, Pe. André de.- Vida do Apostolico Padre Antonio Vieyra da Companhia de Jesus, chamado por antonomasia o Grande: acclamado no mundo por Principe dos Oradores Evangelicos, Prégador Incomparavel dos Augustissimos Reys de Portugal...- Lisboa: Na nova Officina Sylviana, 1746.- [26], 686 p.: 1 gravura; 30 cm.- E.

A mais apreciada biografia do Padre António Vieira. A gravura, aberta em chapa de cobre, representa Vieira a pregar aos índios do Brasil e apresenta a seguinte subscrição: Carolus Grandi Sculp. Romæ Sup. Perm. (Ernesto Soares, Dicionário, 3437 D). No início de cada um dos cinco livros que compõem a obra, encontra-se uma bela vinheta ilustrativa do conteúdo do respectivo livro e uma capital historiada. Pequena falha de suporte em toda a largura da margem superior da folha de rosto. Pertence manuscrito na guarda volante: Este livro he do uso do Dor. José da Motta Cervª. Ex-libris de Francisco de Saldanha da Gama Ferrão de Castello Branco. Encadernação da época, inteira de carneira, levemente cansada. Inocêncio, I, p. 59.



122 BIBLIA SACRA // QVID IN HAC // EDITIONE // A THEOLOGIS // LOVANIENSIBVS  // PRÆSTITVM SIT, // EORVM // PRÆFATIO // INDICAT.- Antverpiæ: Ex Officina Christofori Plantini, 1583.- [654] f., 117 p.: il., 5 gravuras duplas; 40 cm.- E.

Edição monumental saída dos prelos da célebre oficina de Cristóvão Plantin, da iniciativa da Faculdade de Teologia da Universidade de Lovaina. A versão não corresponde exactamente à Vulgata saída do Concílio de Trento, mas incorpora alguns textos da versão mais antiga (Vetus Latina), bem como as epístolas de S. Jerónimo. As ilustrações, todas a talhe-doce, são da autoria do pintor e gravador flamengo Crispin van den Broeck (1523-ca.1591), mestre da corporação de S. Lucas, em Antuérpia. Constam de uma portada alegórica, 72 gravuras a uma coluna, 7 de plena página e 5 de dupla folha, estas representando respectivamente o Templo de Jerusalém (planta e panorâmica), um mapa-mundo e dois mapas da Terra Santa. Um dos motivos do especial interesse desta edição, prende-se com a data da sua publicação, dois anos antes da conquista de Antuérpia e expulsão dos protestantes por Alessandro Farnese (neto de Carlos V e marido da infanta D. Maria de Portugal). Exemplar com algumas imperfeições, a saber: rosto espelhado e manchado, com falha de suporte no canto superior direito; primeiras 20 folhas e últimas 10 um pouco fragilizadas e com ocasionais restauros marginais grosseiros; algumas manchasde humidade no terço superior. As 5 gravuras duplas finais, aparadas, um pouco manchadas e com alguns restauros. Encadernação inteira de carneira do século XIX, esfolada.



225 CASTRO, Joaquim Machado de.- Descripção analytica da execução da estatua equestre, erigida em Lisboa á gloria do Senhor Rei Fidelissimo D. José I., com algumas reflexões, e notas instructivas, para os Mancebos Portuguezes, applicadosá Escultura...- Lisboa: na Impressão Regia, 1810.- [16], XXXVI, 328, [6] p.: [2], XXIII estampas; 24 cm.- E.

Uma das mais belas produções tipográficas portuguesas da primeira metade do século XIX. Todas as gravuras são da autoria de Machado de Castro, embora as duas primeiras (alegóricas e com ligeira acidez) tenham sido gravadas pelo espanhol Rafael Esteve e as restantes por José Lúcio da Costa, o Coxinho, que as assina Lucius (Ernesto Soares, História da Gravura artística em Portugal, p. 187). A edição inclui duas gravuras alegóricas, uma junto ao rosto e outra no início do texto, que é ilustrado com 23 gravuras desdobráveis (todas muito limpas e bem dobradas). Exemplar apenas aparado à cabeça, revestido de encadernação do século XX, inteira de carneira, com decoração a seco na lombada, planos e seixas (juntas fracas). Ameal, 1410. Palha, 541. Inocêncio, IV, p. 126.



435 GÓIS, Damião de.- Damiani Goes // EQVITIS LVSITA- // NI, DE BELLO CAM- // BAICO VLTIMO // COMMENTA- // RII TRES.- Lovanii: Apud Seruatium Sassenum Diestensem, 1549.- [64] p.; 20 cm.-E.

Raríssima primeira edição de um dos mais importantes relatosdo segundo cerco de Diu, em 1545, que constituiu um dos maiscelebrados feitos heróicos dos portugueses no Oriente. Damião deGóis (1502-1574), historiador e humanista, natural de Alenquer,foi uma das grandes figuras portuguesas do século XVI; entre 1523e 1533 foi secretário da Feitoria Portuguesa em Antuérpia; a partir desta data, dedica-se aos seus trabalhos históricos e literários, convivendo e correspondendo-se com diversos humanistas, entre os quais Erasmo de Roterdão e Pietro Bembo; em 1548 assumiu o cargo de guarda-mor da Torre do Tombo; em 1571 foi vítima de um processo da Inquisição, chegando a ser preso; está sepultado na Igreja de Santa Maria da Várzea em Alenquer. A maior parte das suas obras latinas foram publicadas fora de Portugal, tendo sido objecto de numerosas reedições. Com excepção de vestígios de trabalho de traça junto ao festo, o exemplar encontra-se muito bem conservado e está revestido de uma lindíssima encadernação recente, inteira de marroquim verde, com filetes nas pastas, casas fechadas na lombada,elaborado trabalho a ouro nas seixas e doublure em seda moirée (estojo de protecção). O exemplar pertenceu ao Prof. Freitas Simões, ostentando o seu carimbo na folha de guarda e o respectivo ex-libris. A colação confere com a minuciosa descrição que nos é fornecida por Frei Francisco Leite de Faria, no seu erudito trabalho bibliográfico sobre Damião de Góis (nº 15). Silva’s / Pedro de Azevedo, leilão nº 53 (Junho de 1992), lote nº 333 (o mesmo exemplar). Verdadeira peça de colecção.



451 GRAVURE et Fonderie de Charles Derriey: spécimen-album.- Paris: Charles Derriey, 1862.- [4], 195 p.: il.; 39 cm.- E.

Um dos mais belos e monumentais catálogos de tipos jamais publicados. Preparado especialmente para a Exposição de Londres de1862, onde recebeu um prémio, foi por diversas vezes reeditado nos anos subsequentes. Famosa pela qualidade e variedade dos seus ornamentos, a fundição de caracteres de Charles Derriey (1808-1877) viria a ser vendida em 1880, após a morte do fundador, à sua congénere Turlot. O exemplar apresenta pequenos restauros (reintegração de suporte) no canto superior exterior das últimas 20 folhas e ocasionalmente ligeiros picos de acidez. Encadernação original em tela, com guardas novas. Bigmore & Wyman (A bibliography of printing, p. 163): This is one of the most beautiful works ever issued from the French, or, indeed, any other press.



735 ORÓSIO, Paulo.- PAVLI OROSII VIRI DOCTISSIMI HISTORIARVM INI-//TIVM AD AVRELIVM AVGVSTINVM.- Impressi Venetiis: opera & expensis Bernardini Veneti de Vitalibus, 1500.- [80] f.; 29 cm.- E.

Rara edição incunabular terminada em Veneza a 12 de Outubro de 1500 (último ano do século XV), da obra mais importante de Paulo Orósio (ca. 385-ca. 423), uma das principais figuras peninsulares do século V da nossa era. Natural de Braga, Orósio é considerado o primeiro historiador cristão e foi contemporâneo de S. Agostinho e S. Jerónimo, com quem se encontrou pessoalmente. A sua Historiae adversus paganos, título pelo qual é conhecida a presente obra, foi uma das principais fontes para o estudo da antiguidade romana, até ao Renascimento. A colação confere perfeitamente não só com o registo (a-m6, n8), como com a que nos é indicada na Bibliografia Geral Portuguesa, sob o número 10.6. O texto começa na folha a2, sendo a folha [a1] em branco. Inclui sete iniciais capitulares xilogravadas, estando as restantes por preencher. No final, a marca do impressor. Com excepção de ligeiras manchas, de um pertence manuscrito (da época ?) na folha a2 e de uma pequena inscrição numérica no verso da mesma folha, o exemplar encontra-se muito bem conservado e sólido, embora muito ligeiramente aparado. A encadernação é recente, inteira de pergaminho. O catálogo dos incunábulos das bibliotecas portuguesas regista apenas um exemplar em Portugal, na Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra (1325). Hain-Copinger, 12104. Pellechet-Polain 8790 (8655). Incunabulo d’Italia, 7038. BMC, V, 549. Incunables en bibliotecas españolas, 4224.



905 SEXTUS EMPIRICUS.- [...] ADVER- // SVS MATHEMATICOS, // Hoc est, aduersus e os qui profitentur disciplinas, // [...] GENTIANO HERVETO AVRELIO INTERPRETE. // EIVSDEM SEXTI PYRRHONIARVM // HYPOTYPΩSEΩN LIBRI TRES: // QVIBVS in tres Philosophiæ partes seuereissimè inquiritur...- Parisiis: S. P. N., 1569.- [8], 583, [31] p.; 28 cm.- E.

Sextus Empiricus (ca. 160-210), filósofo e médico grego, provavelmente natural de Alexandria. Edição parisiense do tratado Adversus mathematicos, a sua obra mais conhecida e importante, dividida em duas partes. Os primeiros seis livros, conhecidos pelo título Contra os professores, incluem os seguintes textos: Contra os gramáticos (I), Contra os retóricos (II), Contra os geómetras (III), Contra os aritméticos (IV), Contra os astrólogos (V) e Contra os músicos (VI). A segunda parte, da qual se desconhecem pelo menos cinco livros, inclui: Contra os lógicos (VII-VIII), Contra os médicos (IX-X) e Contra os éticos (XI). A partir da p. 399, segue-se, com rosto próprio o tratado filosófico sobre o pirronismo, com comentário de Henri Estienne (Interprete Henrico Stephano). Exemplar com ligeira acidez e algumas manchas de humidade nas primeirasfolhas. Cota riscada na margem superior do rosto. Encadernação inteira de carneira, provavelmente do século XIX.



Por me parecer tratar-se de um importante leilão, com algumas raridades e sobretudo com um vasto acervo de bibliografia para consulta e estudo bibliófilo, sugiro que contactem o livreiro para obterem um exemplar do respectivo catálogo.



Tenho a certeza de que não ficarão desapontados.

Saudações bibliófilas.


4 comentários:

Anónimo disse...

Olá Rui
Solicitei um catálogo por e-mail mas este não está a funcionar.
Abraço, Jorge

rui disse...

Caro Jorge,

Também eu aguardo o meu, mas a versão impressa…
O catálogo parece-me ser mesmo bom (só pelo que vi no pdf)
Vou contactar o Pedro Azevedo para ver o que se passa.
(Tem o Adobe Reader actualizado?)

Um abraço.

Anónimo disse...

permitam que entre na conversa, e atrasado, mas será que este catálogo em pdf está disponível? nesse catálogo havia muitas publicações sobre tipografia e artes gráficas? fiquei muito curioso.

abraço, Rômulo

Rui Martins disse...

Caso esteja interessado, envie-me o seu email que eu enviar-lhe-ei o pdf.
Cumprimentos e votos de um Feliz Ano Novo.