"Se não te agradar o estylo,e o methodo, que sigo, terás paciência, porque não posso saber o teu génio, mas se lendo encontrares alguns erros, (como pode suceder, que encontres) ficar-tehey em grande obrigação se delles me advertires, para que emendando-os fique o teu gosto mais satisfeito"
Bento Morganti - Nummismologia. Lisboa, 1737. no Prólogo «A Quem Ler»

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Bauman Rare Books – A Catalogue of Exceptional New Acquisitions: August, 2011





Catálogo que apresenta como sempre obras de grande qualidade e raridade.

Deste permito-me destacar, pelo interesse que poderão ter para os bibliófilos europeus, esta série de livros com encadernações armoriadas francesas:













E, para os espanhóis, que seguem com alguma regularidade este blogue, esta esplêndida encadernação:



E termino com mais uma obra de Charles Dickens: Oliver Twist; Or, the Parish Boy’s Progress. By “Boz” London: Richard Bentley, 1838. Three volumes. Octavo, late 19th-century purple morocco gilt, raised bands, marbled boards, endpapers and edges. Housed in custom slipcase.



São catálogos como este, que mesmo para os mais renitentes e, como tal pouco entusiastas, se descobre toda a beleza do livro como objecto de arte e de estudo.



Apesar do atraso, e sobre ele iremos conversar, não queria deixar de mencionar mais este importante acontecimento bibliófilo.

Boa leitura … já agora esqueçam a crise económica, por um lapso de tempo pelo menos, e desfrutem das imagens e dos descritivos, para só depois consultarem as vossas bolsas.

Saudações bibliófilas.


6 comentários:

Marco Fabrizio disse...

Estimado Rui.

Es un gran gusto ver los nuevos catálogos de Bauman; pero es mayor gusto ver que regresas ala actividad en el blog.

Saludos bibliófilos
Marco

Galderich disse...

Uf, que libros de fiestas de Francia. A su lado los nuestros (no por ello menos queridos) palidecen...
Gracias por volver con fuerza.

rui disse...

Estimado Marco

Obrigado pelas tuas palavras que são como sempre um estimulo para continuar.

Quanto às razões do atraso nas minhas publicações e ausência do vosso convívio escreverei em breve.

Um abraço

rui disse...

Galderich

Não nos devemos “envergonhar” das nossas obras!
Temos coisas muito boas, só que as desvalorizamos um pouco, e em bibliofilia os franceses levam um grande avanço.

Mesmo com a crise, calmamente, creio que poderemos recuperar algum tempo perdido.

(Veja-se o caso do Brasil e da sua evolução, não me refiro à económica, mas sobretudo à bibliófila.)

Um abraço

Angelo disse...

Rui,

Subscrevo as palavras do Marco Fabrizio. Melhor que as obras da Bauman é poder ler de novo teus posts.

Abraços.

rui disse...

Caro Angelo,

Obrigado pelo teu comentário.

Podes acreditar que eu não desisti, apenas fiz um interregno…

Um forte abraço.