"Se não te agradar o estylo,e o methodo, que sigo, terás paciência, porque não posso saber o teu génio, mas se lendo encontrares alguns erros, (como pode suceder, que encontres) ficar-tehey em grande obrigação se delles me advertires, para que emendando-os fique o teu gosto mais satisfeito"
Bento Morganti - Nummismologia. Lisboa, 1737. no Prólogo «A Quem Ler»

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Uma pequena história: como um pássaro me fez descobrir um livro.




Diamante de Gould

Ao comprar um pássaro, que há muito ambicionava, pela exuberância das cores da sua plumagem – um casal de Diamantes de Gould – despertou-me a atenção de “Gould” se escrever desta forma e não, como aparece mais frequentemente associado ao nome da ave nas lojas da especialidade, “Gold” (ouro).

Então qual o porque de Gould?

O Diamante de Gould é um pássaro da ordem Passeriformes, cujo nome científico é Chloebia gouldiae. É originário da Austrália, foi trazida para a Europa em meados do século XIX pelo ornitólogo John Gould, É um pássaro muito procurado como animal de estimação por ser muito colorido. A sua coloração pode ser roxo, preto, verde, amarelo, branco e vermelho. Normalmente o macho tem o brilho mais forte.


Casal de Diamante de Gould

O seu nome foi uma homenagem a Elizabeth Gould, esposa do ornitólogo John Gould.


John Gould nasceu a 14 de Setembro de 1804, em Lyme Regis, Dorsetshire – Inglaterra e faleceu a 3 de Fevereiro de 1881 em Londres.

John Gould

Pouco depois do seu nascimento, o seu pai, ocupa o lugar de jardineiro numa propriedade próxima de Guildford (Surrey), sendo em 1818 nomeado capataz dos jardins reais de Windsor. O jovem John, inicia a sua formação como jardineiro, mas é em Windsor que aprende a embalsamar animais e torna-se rapidamente num especialista em taxidermia.

Em 1824, abre uma loja em Londres, iniciando-se no negócio da taxidermia. Os seus grandes conhecimentos permitem-lhe tornar-se no primeiro conservador do museu da Zoological Society of London em 1828 com um salário de £100 por ano.

O seu trabalho facilita-lhe manter contacto com os naturalistas mais importantes de Inglaterra e ser o primeiro a ver as novas colecções de aves enviadas para o museu.


A Century of Birds from the Himalaya Mountains

Folio (22 4/8 x 14 4/8 inches). 80 fine hand-colored lithographic plates, by and after Elizabeth Gould, after sketches by John Gould (some spotting). Contemporary half brown morocco gilt, all edges gilt (extremities a bit scuffed, some hinges starting). Provenance: With the armorial library stamp of the Dukes of Manchester on the verso of the front free endpaper and Kimbolton Castle, Huntingdon library label on the front paste-down; bookplate of the Arcadian Library on the front paste-down. First edition, first issue, with the backgrounds of the plates uncolored, ORIGINAL SUBSCRIBER'S COPY. Gould's first major work produced after his acquisition of a collection of bird-skins from the Himalaya Mountains: "the work scored such a great success that Gould continued for the rest of his life to publish large uniform monographs and faunas all on the same lines" (Anker, 168). Gould acknowledges the help of Vigors in confirming the nomenclature of the birds and their descriptions. Anker 168; "Fine Bird Books" p. 101; Nissen 374; Wood p. 364; Sauer 1; Wood p. 364; Zimmer p. 251. Purchased at Christie's 14th November 2007, lot 218. Catalogue description prepared for and on behalf of Arader Galleries by Kate Hunter. Bookseller Inventory # 001263
©Bookseller: W. Graham Arader III gallery (New York, NY, U.S.A.)

Em 1830, uma nova colecção de aves chega dos Himalaias, sendo na sua maioria espécies novas para a ciência. Gould descreve essas aves em A Century of Birds from the Himalayas Mountains (1830-1832). O livro saiu em fascículos entre 1830 e 1832 composto por 80 chapas de ilustrações coloridas desenhadas por Elizabeth Gould representando centenas de aves. as


Elizabeth Gould

O texto foi escrito por Nicholas Aylward Vigors e as ilustrações são litografias realizadas pela sua mulher Elizabeth Gould.

Garrulus lanceolatus, 1830-31.
Published in A Century of Birds from the Himalayas Mountains, plate 40.

A este primeiro trabalho se seguirão outros quatro, realizados durante os sete anos seguintes, com textos do próprio Gould e editados pelo seu assistente, Edwin Prince e com algumas ilustrações de Edward Lear.


Espécie extinta
Gravura extraída de
The Birds of Australia and the Adjacent Islands

Em 4 de Janeiro de 1837, durante uma reunião da Geological Society of London, Charles Darwin apresenta as espécies de aves e mamíferos recolhidos durante a sua viagem a bordo do Beagle, sendo as aves entregues a Gould para a sua posterior identificação. Na reunião seguinte, a 10 de Janeiro, Gould informou que as aves das Ilhas Galápagos que Darwin pensava que eram melros, bico-grossudos e tentilhões, eram na realidade uma série de tentilhões tão particulares que passariam a formar um grupo inteiramente novo, com 12 espécies.


Darwin's Tanager - by John Gould who
was on the Beagle with Darwin

Em 1838, a família Gould viaja até à Austrália para estudar as aves deste país e realizar o primeiro trabalho científico sobre este tema. Com eles viajou o naturalista John Gilbert. Chegam à Tasmânia em Setembro e travam conhecimento com o governador, Sir John Franklin e a sua mulher.

Em Fevereiro de 1839, Gould parte para Sydney, deixando a sua mulher grávida em companhia dos Franklin. Visita o seu cunhado em Yarrundi e dedica o seu tempo à pesquisa de espécies da família dos Ptilonorhynchidae na cadeia de montanhas, de Liverpool Range. Em Abril, regressa à Tasmânia para assistir ao nascimento do seu filho.

Em Maio, viaja a Adelaide para encontrar-se com Charles Sturt, que prepara uma expedição para subir o rio Murray. Gould faz o reconhecimento dos Mount Lofty e Murray Scrubs, regressando a Hobart em Julho. Viaja em seguida com a sua mulher para Yarrundi, e regressa a Inglaterra em Maio de 1840.


GOULD, John (1804-1881). The Birds of Australia.
Londres: Richard et John E. Taylor pour l'auteur, [1840]-1848-1869.
© Christie’s

7 volumes in-folio y compris le volume de supplément (540 x 375 mm). 683 lithographies finement coloriées par John et Elizabeth Gould et Richter, imprimées par Hullmann ou Walter. Liste des souscripteurs. (Rousseurs éparses. Quelques annotations manuscrites au crayon.) Reliure de l'époque signée Bickers & Sons aux contreplats, maroquin rouge, triple filet doré encadrant les plats avec fleurons dorés aux angles, dos à nerfs ornés, roulettes intérieures dorées, tranches dorées (éraflures et taches). Provenance: E.C.G. Sanford (ex-libris manuscrit au verso du feuillet de garde) -- Evrard Bourlon de Rouvre (ex-libris; vente II à Paris, 22 mai 1980, lot 71).

ÉDITION ORIGINALE DU PLUS AMBITIEUX OUVRAGE DE GOULD ET L'OUVRAGE LE PLUS IMPORTANT SUR LES OISEAUX D'AUSTRALIE. Gould s'intéresse dès 1837 aux oiseaux d'Australie sur lesquels il commence une étude qui s'arrêtera à la deuxième livraison (voir lot précédent). En effet, s'apercevant rapidement de l'indigence des informations dont il dispose, il décide de quitter l'Angleterre avec sa femme en mai 1838. Pendant deux ans, il explore l'Australie et la Tasmanie, relevant et dessinant près de 700 espèces dont de très nombreuses étaient jusqu'alors inconnues. TRÈS SÉDUISANT EXEMPLAIRE. Nissen IVB 370; Fine Bird Books, p. 101; Wood, p. 365 ("A truly magnificent treatise, issued in 36 parts. This work form a thorough treatise on the birds of the Australian region..."); Zimmer, p. 255.

O resultado desta viagem foi a publicação de The Birds of Australia (1840-1848), obra em sete volumes, na qual são apresentadas 600 espécies de aves das quais 328 são novas para a ciência.


Elizabeth Gould(1804–1841)
Lopholaimus antarcticus G.R. Gray
plate 61 of John Gould’s The Birds of Australia vol. V
hand-coloured lithograph; 55.3 x 38.1 cm
[London: s.n., 1848]
Pictorial Collection U7297A


Elizabeth Gould(1804–1841)
Falco frontatus, published in Birds of Australia, vol. 1, plate 10.
(This shows a major development of Elizabeth Gould's artistic skills over, for instance,
items 1 and 2 in this case. It may be that Lear's influence can be seen.)

Elizabeth Gould (1804—1841)
Ptilonorhynchus holosericeus
plate 10 of John Gould’s The Birds of Australia vol. IV
hand-colored lithograph; sheet 52.5 x 68 cm
[London: s.n., 1848]

Publica também A Monograph of the Macropodidae, or Family of Kangaroos (1841-1842) e An Introduction to the Mammals of Australia (1849-1861).




A Monograph of the Macropodidae, or Family of Kangaroos

Elizabeth morreu, com apenas 37 anos em Agosto de 1841 de febre puerperal após o nascimento do seu oitavo filho (o sexto que sobrevive a infância)

Daqui em diante, os os livros de Gould passam a ser ilustrados por diversos artistas, incluindo Henry Constantine Richter e Joseph Wolf.



An Introduction to the Mammals of Australia

Durante toda a sua vida, Gould interessa-se especialmente pelos colibris (Trochilidae). Acumulando uma colecção de 320 espécies que são apresentadas em publico durante a grande exposição de 1851. Apesar do seu interesse por estas aves, nunca tinha chegado a ver um colibri vivo.

Wood-engraved portrait of Gould
and two views (interior and exterior) of his hummingbird pavilion,
shown in the Illustrated London News, 12 June 1852, p. 457.

Em Maio de 1857, viaja aos Estados Unidos com o seu segundo filho, Charles. Chega a Nova York antes da temporada na qual se podem ver os colibris na cidade mas, no dia 21 de Maio, nos jardins Bartram de Filadélfia, pode ver finalmente um colibri vivo, Archilochus colubris.


Archilochus colubris

Viaja em seguida a Washington D.C. onde descobre uma grande quantidade destas aves nos jardins do Capitólio. Gould tenta regressar a Inglaterra com alguns exemplares vivos, mas as condições da viagem não o permitiram. Gould publica Monograph of Trochilidae or Family of Humming-birds em 1861.

A Gould League, fundada na Austrália em 1909, foi assim chamada em sua homenagem. Esta organização dá a muitos australianos uma primeira introdução ao mundo das aves, junto com noções de ecologia e protecção do ambiente.


Diamante de Gould

Bom esclarecida que foi a questão, pelo menos para mim, agora resta-me observar o esvoaçar destas belas aves e o seu piar (pena que o canto não seja tão melodioso como é a beleza da sua plumagem), pois que dos livros que descobri, se calhar nunca os verei.

Faz-me lembrar a história dos colibris e do nosso autor: só viu um e já bem tarde na vida, enquanto embalsamados tinha uma colecção notável – eu vi muitas fotógrafas das suas obras, mas originais e ao vivo nenhuma!

Saudações bibliófilas.


Nota:

Todas as legendas das imagens mantém a língua original conforme foram encontradas nos sites referidos, não fiz propositadamente qualquer tradução das mesmas.


Fontes consultadas:

Wikipédia – John Gould

John Gould His Birds and Beasts

Treasures from National Library – John Gould John Gould’s Birds of Australia.

Title : A century of birds from the Himalaya mountains ([Reprod.]) / by John Gould,...
Author : Gould, John (1804-1881)
Publisher : [s.n.] (London)
Date of publication : 1832
Subject : Oiseaux -- Himalaya -- Ouvrages illustrés
Type : monographie imprimée
Language : English
Format : 20 microfiches ; 105*148 mm
Format : application/pdf
Copyright : domaine public
Identifier : ark:/12148/bpt6k989932
Source : Bibliothèque nationale de France
Provenance : bnf.fr

Gould, John, 1804-1881.
Title: The Birds of Australia : in seven volumes by John Gould.
Published: London : Published by the author, 1848 (London : Printed by Richard and John E. Taylor)
Physical Description: 7 v. ([xviii], v-cii, [602] leaves of col. plates) : chiefly col. ill. ; 55 cm.+ 1 supplement.
Notes: Includes index [vii]; "Table of the range or distribution of the species" --p. [ciii].
Supplement published 1869.
Dedication to Queen Victoria p. [iii].
Originally issued in 36 pts.
Ferguson, 4773.
Ferguson, 10032a (Supplement); Available in an electronic version via the Internet at: http://nla.gov.au/nla.aus-f4773.
Exhibited: "National Treasures from Australia's Great Libraries". Touring exhibition December 2005 - August 2007, organised by the National Library of Australia. AuCNL; Library holds two complete sets at RBN ef F4773 with a supplementary volume published in 1869.
Library's N2 copy [red patch on boxes] at RBN ef F4773 is donated by Mr. F. V. Coles.
Subjects: Birds -- Australia -- Pictorial works.
Call Number: RARE RBN ef F4773
System Number: 7408395
To cite this item use: http://nla.gov.au/nla.aus-f4773


11 comentários:

Marco Fabrizio disse...

Rui.

Son insospechados los caminos que nos llevan al encuentro de libros hermosos. La necesidad de representar la naturaleza con la mayor fidelidad ha producido libros de gran belleza.
Gracias por tan interesante historia.

Saludos

rui disse...

Marco

Son muchos los senderos para llegar a un libro, para estos libros fue mi pajarito.

Es verdad lo que dices, pues que en esto periodo los libros de viajes e sobre la naturaleza son obras maestras con grande calidad de sus ilustraciones. Libros (o mejor los folios) como los de Audubon e de Gould son retrato de eso mismo.

Un fuerte abrazo.

Galderich disse...

Rui,

¡Desconocía tu faceta de ornitólogo!
Bienvenida sea si además nos descubres la història de los Gould porque vaya destreza tenía la Sra. Gould dibujando y dando vida a los ejemplares muertos que le enviaban a su mardio.

¡Un buen verano gozando de los libros y los pájaros, sobretodo si son hermosos como el que nos presentas!

syllabe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
syllabe disse...

Les ouvrages du naturaliste John Grould et de sa femme Elisabeth eurent et ont toujours fait l'admiration des passionnés de l'histoire naturelle.
Pour former sa collection ornithologique, John a du poursuivre et capturer les oiseaux, les relâchez t'il en suite ou les a t'ils naturalisés? Sait on comment ils procédaient ? La société zoologique de Londres conserverait t' elle sa collection d'oiseaux?

Angelo disse...

Rui,

é uma pena que a raridade e o preço dessas obras que apresenta não me permitam também tê-las em mãos. Quando ao Diamante de Gould, também já tive um casal há algum tempo, e ~e sempre relaxante poder apreciar a beleza de suas cores.

rui disse...

Galderich,

¡Yo soy "multifacetado" pero también mucho imperfecto!
Los pájaros fueren siempre mis compañeros desde niño.
Es un placer que se mescla muy bien con los libros: escuchar su canto melodioso e leer.

Un fuerte abrazo.

rui disse...

Chère Sylvie,

John Gould m’étais méconnu jusqu’à l’achat de mes oiseaux, donc je ne te peu pas dire grande chose sur lui.

Sur les oiseaux qu’il reçoit pour les étudier il doit avoir fait deux choses, comme d’habitude dans cet époque, les mettre dans pavillon pour l’étude et par qu’elles pouvait être montrées au public, mais si elles mourraient il les conservait par des techniques de taxidermie comme il avait déjà fait avec les colibris.

Je crois qu’il doit avoir encore des spécimens de Gould dans la société zoologique de Londres (mais je ne suis pas sûre)

Avec amitié

rui disse...

Angelo,

Ah! Você também gosta de pássaros e de diamantes de Goud!
Bom como nós dizemos em Portugal “quem gosta de animais tem de ser boa pessoa!”

Para mim isso é muito mais importante do que possuir obras raras e caras (mas já dizia a raposa de La Fontaine: “ainda estão verdes”, porque não lhes conseguia chegar…)

Um abraço de grande amizade.

Adriano Rodrigues Laignier disse...

Tenho dúvidas quanto aos valores de um gosto cujo objetivo é manter um animal preso para satisfação pessoal. Lamentável pessoas que mantém pássaros em gaiolas, nesta pesrpectiva.

rui disse...

Caro Adriano,

Quase que concordo consigo,no entanto, a noção de liberdade e cativeiro nas aves, e não só, seria tema para uma troca de impressões interminável.

Pessoalmente se respeitarmos os hábitos e proporcionarmos as condições o mais próximo do seu habitat não estamos a violentar as mesmas.

Claro que há gaiolas e gaiolas!

Mas já agora, prermita-me chamar a sua atenção para que foi o cativeiro que permitiu salvar algumas espécies, nomeamente esta que estava a ser dizimada por um ácaro no seu habitat natural na Austrális, mas há outros exemplos.

Acima de tudo respeito a sua opinião, pois este espaço não se rege pelo "dogmatismo", muito antes pelo contrário.

Cada um é livre de se expressar livremente sobre o que pensa sobre o tema proposto.

Cordiais saudações e creia que será sempre bem-vindo.